Páginas

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Será que meu filho vai ter carinha de pão Panco?

Oi pessoal!!!

Eu bem polaquinha
Acredito que todos os pais da face da Terra tentaram imaginar como seria a carinha de seu rebento enquanto aguardaram sua chegada. Pois eu e João pai não somos diferentes e temos queimado a mufa fazendo previsões de como será nosso bebê. 

E chegamos à conclusão de que... é imprevisível! Afinal, que mistura vai dar a figura desta polaca que vos fala, quase uma loira natural, de olhos claros e pele marrom (marromenos clara, marromenos bronzeada) com o Tata que é bem mais moreno, de cabelos lisos (lindos) e pretos, de olhos castanhos e pequenos (meio japinha dependendo do jeito que você vê) e com características que lembram um pouco os índios ou povos andinos? (fui longe buscar as características da genética né? rererere).

Meu João de olhos pequenos
Bem, o marido tem ascendência portuguesa, até onde sei, com bastante miscigenação por aqui. Já eu tenho bastante polonês na família pra puxar, mas tenho também uma corzinha saudável por conta da misturança de onde vem minha mãe... ali tem um pouco de espanhóis, portugueses e bugres. Enfim... aqui todo mundo tem um DNA bem colorido. 


Mas eu imagino sim... Relembrando das aulas de Biologia do segundo grau (coisa de gente antiga dizer segundo grau né?), posso concluir que João Augusto vem aí de cabelão bem preto, olho bem castanho e pele bronzeadinha :-). É a história do Azão do castanho que é predominante contra os Azinhos recessivos do azul. Você recorda? Eita professora Maria Inêz, que saudade docê! rerere.

E que tal o disfarce de índio?
Bem, sendo assim, imagino que nosso filhinho vai puxar mais ao Joãodad e torço com veemência para que herde o narizinho lindo dele, porque o meu, convenhamos, não é bom negócio, rerere. Já os pezinhos, Deus ajude que ele puxe a mim, porque pense num pé feio que tem meu homi! Chato e com os dedos super desproporcionais...

Bom, outros fatores ainda me fazem pensar que Joãozinhoson será a cara do papi. Basta dar uma olhada para a família dele. Tooooodo mundo... eu disse toooooodos... têm a mesma carinha, a mesma feição. Tios, primos, irmã, sobrinha... tudo igualzinho, tirado da mesma forma.

João Henrique - 'a cara'
Gosto de pensar que meu filhote vai ser como o João Henrique (ah os nomes também são iguais na família), priminho e afilhado do meu João pai (confusão né?). Dá uma olhada na foto do boneco... Quando colocou fotos do priminho no orkut, todos os amigos acharam que meu João tinha tido um filho.

Mas... vai saber! A genética pode me surpreender e vir por aí um baby sararazinho de cabelinho louro cacheado... rerere. O que é certeza é que este pequeno não vai ser muito grande em estatura. Neste quesito, pai e mãe são bem parecidos. Vai ter um bumbunzão e pernas finas, porque aí também há semelhanças no casal. De resto, tudo pode ser surpresa né? Menos o fato de que vai ser a criança mais linda do mundo!!! Oras, sou a mãe e tenho certeza de que vou achar isso, rerere!

Não é praticamente a caricatura do João pai?
Nessa brincadeira de imaginar, tentar prever, outro dia dei de cara com um desenho que me convenceu! Vê se não concorda comigo: se meu filho puxar ao pai, vai ser muito igualzinho ao mascote do Pão Panco!!! (pode rir, eu deixo!). E veja que gracinha este aqui que eu recortei: já é educativo e ensina a economizar água.

O que interessa mesmo é que meu pão-panquinho venha com muita saúde, que seja um bisnaguinho fofo e, se não for pedir muito, que seja, como diziam na época da minha mãe, um "PÃO" quando moço!

Em março a gente acaba com o suspense! Beijos amores. Se tiverem um palpite, mandem aí!


Mãe Manu
Engraçado: o nariz era normal

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Minino-homi! Macho sinsinhô!

Onde está Wally???

Finalmente, no alto da 21ª semana a confirmação chegou! No ultrassom de setembro, na 13ª semana, o médico disse que provavelmente meu bebê era menino, mas a confirmação só poderia me dar no próximo exame. Pois no de outubro o danadinho fechou as perninhas e só queria flashs no rostinho, lembram? Então, ontem, subindo pelas paredes de curiosidade e ansiedade, enfim fui ao consultório na esperança de ter a certeza daquilo que já convencia minha intuição.

Barrigão e cabeção
Ele passou a (como é o nome do mouse do ultrassom?)... vamos chamar de câmera... passou a câmera na minha barriga pra um lado, pra outro e eu perguntando mais que o Faustão, sem deixar ele responder, até que na lateral direita da barriga eis que surge a imagem. "Olha aqui ó, tá vendo?", diz o doutor. Ver eu até via aquele monte de imagens contrastantes de preto e branco na tela, mas reconhecer mesmo só reconheço as coisas mais fáceis, como o crânio, a barrigona, as mãozinhas, as perninhas... Acha que eu teria condições de ver o sexo do bebê? E ele insistiu. Congelou a imagem e começou a escrever na tela: "GURI". 

Ah a certeza foi tão boa. Desta vez o papai não pôde acompanhar a consulta, mas a vó Raquel tava junto e vibrou comigo. Não que eu quisesse muito um menino, mas já estava acostumada com a ideia, já tinha arranjado o nominho e até o enxoval começou a ficar azul. Seria trabalhoso acostumar com outra notícia agora.

Olhou para a foto mais uma vez
"Olha o pintinho dele", indicou o doutor. Eu continuei não vendo pintinho algum, mas saí convencida e de porte do atestado na mão. Meu guri é menino-homem, macho sim senhor! Aaaaalaaatê piazão! Mandei mensagem pro pai, que respondeu daquele modo tradicional né? "Então você viu o piu-piu dele? Puxou o pai?"... Que mais esperar? Acho que todo pai quer que o filho seja piupiuzudo né? rererere.

Não dei o braço a torcer e nem vou revelar aqui as intimidades do João pai. ririri. Só respondi que nosso fio tem pinto pequeno mas é homi!

"E o coração faz tica-tica-bum!"
No fim nem é tão pequeno viu? Meu garotão já tem 28 centímetros de pura formosura, 397 gramas (quase meio pacote de trigo) de belezura e um coração pulsando a 148 batidas por minuto. Minha escolinha de samba particular continua retumbante e o mestre da bateria se mexeu bastante no ultrassom, olhou pra foto mais uma vez e mostrou os cinco dedinhos da mão (que mãe não conta os dedos hein?).

Um tchauzinho pra mamãe e pra vovó! Cinco dedinhos
Foi assim que voltei pra casa alegre e sorridente com um filho na pancinha, cada vez maior, e um moooonte de roupinha de piazinho que a cunhada Day me deu. São coisinhas que o Mateuzinho usou bem pouco e estão como novas. É tanta coisa que acho que não vou precisar comprar roupa pro meu hominho até que tenha um ano de idade! Coisa boa né?

É isso então...Volto logo mais para mostrar a vocês algumas fotos de personagens, da infância do João e minha e de parentes nossos de onde tento tirar características, traços genéticos, para imaginar como será a feiçãozinha do nosso baby. Garanto que vocês vão adorar!

E para encerrar, a boa notícia é que meu Kikinho está melhor. Deu uma reagida e até voltou a latir e a comer.

Beijoooooooooooos

Kiko melhorou! Ufa!

A mãe do João Augusto!


Vídeo da vez: Gravidez da 15ª à 20ª semana

sábado, 19 de novembro de 2011

Medo do parto. Medo só não... Pânico!

Olá migarada!


Nesta semana resolvi enfrentar o assunto. Venho adiando há algum tempo, evitando pensar sobre, mas a 20ª semana marca a metade da gestação e isso me lembra que daqui a no máximo mais 20 semanas estarei em uma cama de hospital para o momento fatídico! Não tem como escapar né? Uma hora este milagrinho lindo que existe aqui dentro de mim vai querer sair e eu vou ter de passar pelo pavoroso, indiscreto, ensanguentado, dolorido, temido, muito temido... PARTO (pode acrescentar aqui uma risada forte daquelas de filme de terror).

Gente como é que pode? Sou tão valentona pra tanta coisa! Pulo de paraglider, ando em garupa de maluco, adoro voar e subir em locais bem altos, não tenho medo de aranha, barata, cobra, mas morrrrrooooooo de medo, medo só não... pânico da tal hora! Desde sempre! Desde a adolescência, quando nas conversas com as priminhas imaginávamos nossa hora de ser mãe... Aquilo para mim nunca fez sentido.

Uma pessoa com as pernas abertas, gemendo e respirando ofegante, sentindo muita dor e uma criança cabeçuda saindo por um buraquinho tão... pequeno! Convenhamos! Chamam de parto natural, mas para mim nada daquilo é natural. Nada normal. E cesárea então??? Aqueles infinitos cortes em camadas de pele, um bebê sendo puxado lá do meio com um monte de sangue e gosma branca, aparentemente sem vida... Ah meu pai!!!

Tá bom, vai... Tem sete bilhões de pessoas no mundo e todas elas passaram por um desses buracos. Mas poxa, a medicina evoluiu taaaanto e quando o assunto é ganhar bebê, tudo é igual desde o princípio. Hoje no máximo os médicos podem ofertar a possibilidade da analgesia antes do parto. Mas aquelas contrações por 15 horas ainda não foram dispensadas do processo. Sei que posso aguentar tudo isso. Sei que todas as mulheres que conheço e tiveram filhos sobreviveram a isso, mas sei que tenho medo.
Itáytyba

Então lá fui eu pinçar pela internet opiniões, debates, orientações e, o pior de tudo, filmes e fotos sobre partos. Que arrependimento! Futuras mamães atenção: não façam isso! Não entrem no youtube para ver cenas de partos. Tem gente que acha lindo, divino, mas eu juro que quase desmaiei. Não que eu tenha medo de sangue ou de agulha, sabem? Tenho medo de parto mesmo! E de perereca. São as duas coisas no mundo que mais me amedrontam. Que? Como assim "perereca"? Oras... aquela verdinha, tipo um mini-sapo que cola na parede e na testa da gente. Tenho pavor de perereca também.

Mas acho ainda que eu enfrentaria uma perereca gosmenta sem tanto pânico. Bom, pererecas à parte, continuo com medo do parto. Pensei em fazer terapia e ir buscar lá no subconsciente os traumas de infância que me fizeram sentir isso hoje. O que me consola é que tenho uns quatro meses pela frente para pensar no assunto e me acostumar melhor com a ideia. Por enquanto, o único videozinho que posso recomendar às senhoras futuras mamães é este aqui, do baby center, que é ilustrativo e não tão pornográfico:



Vou falar com o médico agora sobre isso. Quarta teremos ultrassom.

Outro receio é quanto à logística da "hora". Eu moro sozinha em Tibagi e meu maridoso passa toda a semana em Ponta Grossa. Pense se a bolsa rompe ou começo a sentir as dores antes do previsto? Que faço??? Entro no carro e me arrisco a dirigir até Castro? Mas nem Rodonorte tem no caminho pra me cuidar caso o bebê queira sair no estilo vapt vupt. Ligo pros bombeiros??? Correr pro hospital daqui não adianta, não temos centro cirúrgico e não me arrisco nem a pau. Ai gente... Vou ter que contar com os amigos e familiares do João, que moram aqui, se isso acontecer. De toda forma, já estamos providenciando a saída para a licença-maternidade e uma mudança de casa, inclusive. Tenho novidades sobre isso, mas trago na próxima, assim que assinarmos uns papéis. :-)

Então é isso meninas. Se souberem como me ajudar... Talvez seus depoimentos me auxiliem a perder o medo. Gosto de lembrar do parto do meu sobrinho Mateuzinho, em que a Day, apesar de ter sentido dor por quase 24 horas, entrou na sala de cirurgia e meia hora depois estava esplendorosa com o bebê no colo. E mais: no dia seguinte, levantou cedo, tomou banho sozinha e voltou pra casa saltitante como se ali não houvesse carreiras de pontos no abdômem. Lembro também do parto do Luiz Henrique, o Hike, sobrinho... A Adri teve de parto normal. Sentiu as dores de madrugada e saiu dar uma caminhada na rua, pode? Logo mais ela estava já sentada sobre a perna na cama do hospital com um sorriso no rosto e um bebê no colo. Tomara que seja assim!!!

Agora lá vamos nós aos compromissos oficiais com o trabalho. É sábado, mas tem muita coisa acontecendo por aqui e daqui a pouco estaremos numa inauguração de uma praça. Ah, o desfile de Natal não aconteceu na semana passada e será amanhã! A roupa já está aqui em casa, um sarro!

Também não fomos para o litoral. Aquela chuvarada desanimou. Ficamos por aqui no feriado e aproveitamos muito dois dias no Itáytyba Ecoturismo. Recomendo!!! uma delícia esse resort ecológico pertinho do canyon Guartelá, em Tibagi. Comemos muito e deliciosamente, curtimos uma piscininha aquecida e trilhas super gostosas pela mata. Cansei pra caramba! Mas foi ótimo. E o papai pôde sentir nosso filhote mexer. "Ele remexe muito" e eu fico toda faceira. Sinto o dia todo agora. Uma delícia.

Ficam registros e também um videozinho mais que especial: o Mateuzinho, meu sobrinho, deu seus primeiros passinhos. A Day filmou e fica aqui para vocês se divertirem. Coisa mais linda do mundo né? Só tem 10 meses, super precoce.


Beijos girls! Té mais.

Manu

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Mexeu! Mexeu!!!

19 semanas
Oooooi tchurma!!!

Tô tão animada com a novidade! Estamos na 19ª semana de gestação, entrando na 20ª, e isso significa que a metade já passou. E o melhor: eu senti! Ele mexeu e eu senti! Homens do meu Brasil varonil, sinto dizer-lhes que vocês podem imaginar, mas infelizmente não terão esta mesma sensação maravilhosa, emocionante, divina!


Foi muito gostoso. E ele mexeu bastante. Eu fiquei rindo sem parar, mesmo sabendo que daqui por diante ele vai mexer tanto que às vezes vou pedir pra ele se acomodar um pouquinho, né Rafa Kuhnen? rerere. É uma delícia.

Bem, vamos ao episódio então. Lá estava eu numa sessão de "tortura" com a querida Rose, minha amiga e depiladora das mãos de seda, quando sob aquela luz forte direcionada para "as partes", e com aquele papelzinho quente colando naquela cera fervente que gruda na gente, meu bebê resolveu se manifestar.

Serra do Apon
Foi engraçado. Eu senti e cortei a Rose no que ela estava dizendo. Dali pra frente nosso papo virou nisso. Ela tirava uma lasca de mim com a cera e o bebê se mexia... A gente parava tudo e ficava olhando pra barriga, tentando sentir com as mãos. Ela voltava com a cera, e ele dava seus chutes. Gente, é certeza que esse menino me ama! Ele foi solidário!!! Ele quis dizer pra Rose o quanto esse negócio de cera quente é dolorido! Certeza também que ele será um homem sensível às dores femininas depois dessa. rererere.

Sei que foi tão legal que por mim eu passaria mais uma hora lá na mesa de depilação (jamais pensei em dizer isso). Foi ontem à noite e cheguei em casa vibrante. Liguei pro papai pra contar a novidade. E desde então, o moleque tá quietinho. Pelo menos não senti tão forte. Anteontem pela manhã, ainda na cama, senti de levezinho, mas não dei a devida atenção porque tem tanta coisa que se mexe aqui por dentro que pode ser difícil de identificar.

Enfim, agora estou em horário de almoço e vou lá encher a pança e ficar paradinha pra ver se ele me manda um alô. O mais bacana disso é que até aqui eu sempre soube da presença do meu filhinho dentro de mim, vi ele nos ultrassons e ouvi seu coraçãozinho, mas a impressão é que ele não se comunica comigo. Agora não, posso sentir e saber que ele está de peraltice lá dentro e que também deve sentir o que eu sinto.

Por falar em sentir o que eu sinto, os últimos dias não tem sido só de flores. Sabe aquela história de que mulher grávida fica mais irritada? SIM, fica! Eu pelo menos estou com os nervos à flor da pele e qualquer coisinha que acontece me faz chorar de alegria ou de profunda tristeza, mesmo que seja irrelevante.

Outro dia a Dani Novak, minha vizinha de departamento, entrou em minha sala com um bebê de um mês no colo que ela pegou de uma mulher no corredor. Era a coisa mais fofinha do mundo, um piazinho todo enrugadinho ainda, tentando enxergar as coisas. Peguei ele no colo, completamente desajeitada e comecei a chorar. Que boba né? Mas foi assim... Me emociono fácil.

E também saio do sério fácil. Cheguei a me envolver numa situação ridícula e que até me envergonho agora. Fui dar trela para acusações infundadas que um sujeito escreve no facebook contra a Prefeitura. Especialmente numa em que cobrava uma posição da Assessoria de Comunicação quanto a um cano de esgoto que corre a céu aberto na cidade. Pense comigo: que que eu tenho a ver com isso??? Mas tonta que sou, fui responder e acabei dando chance pra gente que nem conheço, e que está cheia de intenções eleitoreiras, de me atacar.

Pior que fui longe viu? Depois me perguntei: a troco de quê? Pra que dar ouvidos se essas pessoas não estão interessadas na minha opinião, só querem promover suas discussões infundadas? Bem... saí do bate-boca, excluí do face, bloqueei porque me estressei demais com as baixarias e no fim, o João tava certo: só saí perdendo e quem ganhou tá lá rindo nas minhas costas.

Mas o pior estava por vir... encontrei o sujeito na rua e fui tentar conversar. Não houve diálogo, mas ironia, cinismo e arrogância. Caí mais uma vez na armadilha de tentar conversar com gente grossa. Cancha curta como sou, às vezes grossa também (reconheço!), desci ao nível da pessoa e saí bastante ferida.

Mas isso porque senti também pela primeira vez uma coisa que já tinha ouvido falar e ainda não conhecia a proporção que tem. Só tô contando essa história toda aqui por causa desse detalhe: instinto de defesa materno. 

 Sim, foi o que me fez sair de perto do sujeito falando alguns palavrões, que eram a única coisa que me vinha à cabeça, de tanta raiva. Sabe por quê? Ele apontou pra minha barriga e questionou, em ar completamente cínico, se era meu filho que estava me deixando nervosinha. Ahhhhh queridos! Até pode ser que meu filho e todos esses hormônios sejam responsáveis pela minha irritação maior, mas meu anjinho não tinha nada a ver com aquela história nojenta que se desenhava. Minha vontade era de dar um tabefe na cara do cretino, mas mandar ele praquele lugar já ajudou. rerere

Bem, então, descobri que posso suportar todo tipo de ofensa contra mim, mas não tolero que meu filho seja citado por um qualquer. É um sentimento inexplicável! De proteção extrema, de amor imenso, de raiva instintiva contra quem se aproxima com má intenção. Com isso tudo aprendi que preciso evitar situações de confronto, pelo menos por enquanto, porque sei o quanto meu nervosismo pode afetar meu bebezinho. E meu bebezinho não merece!

Depois tem a saúde do Kiko, que tem me deixado tristonha. Meu cachorrinho não está nada bem. O coração vem diminuindo seu ritmo e agora ele não quer comer e está com barriga d'água. Tá magrelo, com os ossos saltados e um barrigão enorme, que o deixa ofegante e sem disposição. A semana foi de casa pro consultório e hoje chegam os resultados dos exames. Tenho esperança de que agora, com medicação adequada, ele melhore. Dói ver a carinha dele, de cansadinho.

No mais, alegria de montão. Marido e eu fomos passear na Serra do Apon, a localidade rural distante 65 km da cidade de Castro, onde nasci e me criei. Cunhada Rapha e irmão Robinho foram também e tivemos um  final de semana maravilhoso em contato com a natureza, na paisagem que para mim é a mais linda do mundo, pois me remete aos tempos em que ao lado dos meus três irmãos tive uma infância extremamente feliz, saudável. Foi uma delícia espairecer na nossa casa, onde tudo cheira a saudades, daquelas boas.

Pingente de piazinho :-)
Aproveitei para descansar a cabeça, porque o corpitcho voltou arrasado de tanta caminhada no mato. A dor nas costas se tornou mais constante e com o calor, chegou o inchaço nos pés! Até outro dia eu estava faceira andando de salto alto por aí, mas agora o esquema é chinelão de dedo mesmo, porque os pezinhos viram duas bolotas. A barriga tá grandona agora, com mais tipão de gestação. Durante um bom tempo eu só parecia mais gordinha, agora já entro na fila preferencial do banco sem precisar forçar a barriga pra frente rere.

Amanhã tem mais: a família Wisnievski Oliveira vai passear pelo litoral. Vamos de Serra da Graciosa, um barreado em Morretes e quem sabe um banho pra salgar a poupança na praia. Voltamos segunda, porque tem desfile de Natal em Tibagi e estaremos lá, de mamãe e papai noel. rararara. Não acredita? Siiim, João e eu seremos papais noéis espanhóis! :-)

E bora lá almoçar. O dia hoje está cheio e tem muita matéria para escrever. Ah, estou entrando ao vivo todos os dias na CBN com informações da pré-temporada do Operário em Tibagi e isso me diverte. Adoro rádio. É às 11h10 na www.cbnpg.com.br no CBN Esporte. Volto quarta.

Até lá, tomara que nosso filhote volte a saracotear aqui dentro pro papai sentir também! Beijoooos!

Ah, ganhei um pingente lindoooooooooo de piazinho da cunhada Dani. Amei! Eu já tinha planejado com o João de mandar fazer, mas fui surpreendida com o carinho dela. Obrigada amore! 

Fica aqui o videozinho divertidíssimo que a Biara, querida, me mandou no face! Pense num pai desesperado! rarara: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...