Páginas

terça-feira, 27 de março de 2012

2 de abril: seu último prazo, meu 'bichinho-piguiça'

Presentinho da tia Leri

Ei... É impressão minha ou o tempo parou mesmo? Bem que dizem que gravidez dura oito meses e um século, ou 36 semanas e uma eternidade... Estes últimos dias de espera parecem intermináveis. E meu Joãozinho não quer saber de sair do quentinho. Deve ter ouvido a previsão do tempo e resolveu ficar lá dentro mesmo, onde não tem frio nem chuva.

Lá se vão 39 semanas e nada de contrações, dilatação, tampão mucoso, bolsa rompida! Só o barrigão mexendo de um lado pro outro, o peso aumentando e a ansiedade me fazendo subir pelas paredes. Bem, pelo menos agora posso fazer contagem regressiva. Ontem tivemos consulta e meu obstetra concorda em interromper a boa vida intrauterina do Joãozinho na quadragésima semana. Marcamos cesária para dia 2 de abril, próxima segunda-feira.

Eu ainda acho que ele pode vir a qualquer momento, que de uma hora para a outra os sinais vão aparecer e correremos todos felizes para a maternidade para um lindo e natural (indolor - eu posso sonhar) parto normal. Mas se isso não acontecer, às 20 horas da próxima segunda meu filhinho será trazido à luz mesmo contra sua vontadinha. 



Dá para notar os contornos do rosto
131 batimentos por minuto

Isso me trouxe um pouco mais de tranquilidade porque acaba aquela sensação de espera sem fim. O "até quando" já pode ser substituído por um "em no máximo sete dias" e a assim angústia fica menor. Mas também não estou desesperada para que ele nasça logo. Não se trata disso. É só uma vontadinha de que o tempo passe rapidão para que o pensamento pare de circular em torno dessa espera. Quero mais é que meu bebê venha ao mundo no seu tempo, na sua hora, conforme sua vontade.

A excelente notícia da última consulta é que João Augusto engordou (ufa)! Já tem 3.081 kg e pode nascer bem rechonchudinho se ficar aqui mais uma semana. Fico bem feliz por isso porque os bebês precisam dessa camadinha de gordura nas primeiras semanas. Isso pode evitar que ele tenha de ficar numa encubadora, por exemplo.

Então, se nosso piazinho não resolver sair por conta, na próxima segunda almoço as 11 horas da manhã e fico em jejum pelo resto do dia para me preparar para o procedimento cirúrgico. Serei internada no final da tarde e o parto será feito no início da noite. Assim, mamãe e bebê terão um bom tempo de descanso até chegarem as visitas. A alta é programada para 36 horas após, portanto na quarta-feira já estaremos em casa para iniciar a jornada mais incrível de nossas vidas: cuidar de um ser humano até que ele tenha independência suficiente para orientar sua própria vida (tipo lá pelos 35 anos né?).

Vovó Sônia desta feita foi junto à consulta que teve ultrassom. Mas a esta altura nosso neném já está tão grandão que o ultra não mostra muita coisa, apenas o barrigão, a testinha protuberante, a coluna, os rinzinhos, o coraçãozinho a 131 batimentos por minuto. Ele inteiro mesmo já não pode mais ser visto. Só suas partezinhas. O importante é que ele está bem. Há líquido amniótico, tudo aparenta estar normal lá por dentro. Passar da 40ª semana já me preocuparia, porque o líquido fica turvo com mecônio (o cocozinho dele) e com as partículas que recobriam sua pele e começam agora a se soltar.

Tivemos também o exame de toque (ruim pra caramba). O canal ainda está longo e sem dilatação. "Ele ainda não se insinuou. A maioria já teria se insinuado, mas seu bebê ainda está alto", disse o doutor, ressaltando que é absolutamente normal e que nosso filho está se desenvolvendo no tempo certo, embora não tenha encaixado ainda.

Senhor do céu! Aí me pergunto... onde foi que errei nas contas? Sim, porque nos meus cálculos (errados), Joãozinho já teria nascido há uma semana, pelo menos. E poderia, afinal muitos nascem de 38 semanas. Todas as gestantes que acompanhei com o mesmo tempo que eu já estão com seus filhos nos braços. Até a chata da Luana Piovani ganhou seu Dom (ontem) e eu nada... rererere.

O certo é que este menino aqui não tá com pressa e nem liga se a mãe dele é afoita. Ele já mostrou que puxou ao pai e que gosta mesmo é de fazer preguicinha. Fico imaginando os dois, daqui a uns anos, esparramados no sofá da sala assistindo aos cinco minutos iniciais dos filmes de 'Joãopiro' (era assim que meu marido se referia a filmes de terror quando criança) e dormindo largados o resto do tempo. Na verdade ele deve estar chupando o dedinho lá dentro e pensando calmamente se realmente precisa sair daquele mundinho cor-de-rosa e aconchegante que é a mãe dele (que amor).


Onde está a fé? 
 
Por outro lado, a demora da chegada de Joãozinho foi útil para que desse tempo de aliviar uma enorme preocupação que surgiu na última semana. Eu fiz interpretações erradas sobre coisas que me disseram e paguei um preço alto por isso: o preço do medo, da preocupação, do sofrimento por antecedência. Sou católica desde que nasci, até fui catequista, mas nos últimos seis anos venho estudando o espiritismo e acredito em muita coisa da doutrina. Porém, nunca me entreguei oficialmente a esta fé. Mas João Alcione tem recebido alguns chamados importantes nos últimos tempos e agora resolveu dedicar-se aos estudos do espiritismo.

A convite do cardiologista do João, participamos na última quinta-feira de um Encontro Fraterno no Centro André Luiz. Foi muito bacana. Todo aquele clima de paz que envolve a gente quando chega lá, o acolhimento das pessoas, as palavras de amor... tudo me fez muito bem. No entanto, durante nossa consulta, João foi convocado através de uma médium a se preparar melhor para cuidar do nosso filho.

Foi aí que eu comecei a ficar aflita. Para mim, que já estava aos prantos de emoção, a médium disse que estou pronta. "A Emanoelle está preparada, foi intuitivamente orientada por seu anjo guardião e sabe que o filho de vocês é especial. Ela já sabe qual será sua missão. O João precisa se desenvolver e se preparar para ajudar nessa tarefa". Foi mais ou menos isso que nos disse naquele encontro. E eu, que sou ainda muito leiga no assunto, fiquei encafifada. Que história é essa de que nosso filho é especial? Como assim ele vai precisar da gente e de um dom a ser desenvolvido pelo pai? Pirei legal... Imaginei as piores coisas e prefiro nem comentar.

É claro, óbvio, que se este 'especial' tiver o sentido hoje aplicado à palavra para designar crianças com deficiência, com limitações ou problemas de saúde, vou amá-lo na mesma intensidade e não descansarei um só minuto até que tenha feito tudo para dar-lhe as melhores oportunidades de se desenvolver. Jamais questionarei a vida por me trazer um filho especial e me sinto realmente preparada para enfrentar junto dele os desafios que isso possa implicar. Mas, neste momento em que estou prestes a parir, esta é uma informação que me traz sentimentos difíceis de explicar. Aumentou minha ansiedade em ver logo meu filho e saber afinal o que eles quiseram me dizer.

Foi assim que passei o dia todo na sexta... com receios, com insegurança, chorona e cheia de preocupação. Até que João voltou do trabalho e ligou para o cardiologista. Antes disso, a tia Mirian (Mimi, minha irmã de coração, muito certamente de outras várias vidas) já tinha me acalentado a alma com informações muito úteis sobre crianças índigo... Mas eu precisava ouvir isso do pessoal que estava naquele encontro. E foi o que o doutor nos falou: nosso filho pode ser uma criança especial, como a maioria das que chegam ao mundo nessa nova era. São seres com uma nova energia e que vêm com a missão de transformar o planeta. Ele disse que nosso Joãozinho pode ser um índigo ou cristal. Já vasculhei a internet e estou tentando obter o máximo de informação possível sobre o assunto, que me agrada e realmente impõe desafios aos pais deste século. 

Aos pais que se interessarem em saber sobre isso, indico alguns links abaixo. Achei superinteressante o tema e realmente o comportamento dessas crianças relatado nestes novos estudos tem tudo a ver com uma porção de criancinhas que conheço, inclusive meus sobrinhos. A nova atitude dos pais e da escola no processo de educação também se transformou indiscutivelmente e os apontamentos dessas pesquisas só comprovam o que a gente já vem aprendendo na prática. Não há mais educação possível através da simples imposição. As crianças de hoje exigem muito mais sabedoria. Bom, vejam só:

- Crianças Cristal
- Crianças Índigo

Este é um post que pretendo apagar dentro de alguns anos, para que nosso Joãozinho não se ocupe desse assunto, se este for o caso. Até lá posso me informar melhor e saber o que fazer. De todo modo, essa experiência serviu para reforçar entre mim e João a necessidade de firmarmos nossa fé. Confesso que ainda não consigo me entregar totalmente à doutrina de um lado ou à religião de outro e ainda tenho perguntas sobre tudo. Eu poderia ser classificada como um espírito que precisa evoluir muito ainda para compreender e aceitar o transcendental, rere.



Mas tenho sido perseverante ao lado do meu marido nas tarefinhas diárias que ele agora tem sobre os estudos kardecistas. É o que ele quer e eu apoio! O que mais me atrai é a possibilidade de aprender. Então vamos lá, criar um ambiente familiar apropriado para que também nosso filho possa aprender a estudar estes assuntos e depois possa escolher seu próprio caminho. Que seja de muita luz! E que eu esteja realmente preparada como mãe (como me disse aquela médium) para mostrar algumas direções.


Tempo, tempo...
 
Com o pensamento menos aflito, passei um final de semana bem gostoso em família. Fizemos supermercado no sábado, João aproveitou para cortar grama e terminar de pintar a fachada da casa. Assistimos filminhos, recebemos os avós (Sônia e Alci), tios (Dani e Jô) e a priminha Duda em casa, descansamos. Fomos ontem a Castro e almoçamos com a vó Raquel e tio Zeco. Vimos o vô Valdemar, os tios Robson, Mateus, Day e o priminho Mateuzinho. Agora, com uma semana de chuvarada e friozinho pela frente, nada melhor que relaxar em casa e comer o segundo ovo de páscoa durante a espera. E curtir cada presentinho que temos recebido.

Abaixo alguns novos. Madrinha Dani providenciou o bebê conforto, almofada para amamentar, uma mantinha fofa com tema de girafinha (vem com a pelúcia junto) e CDs com músicas de ninar. Na promoção da Nestlé, ganhamos três ursinhos de pelúcia lindos na compra dos ovos de páscoa - tudo tema safari. Um amor. Tem roupinha, acessório e muita coisinha meiga que vou mostrando sempre que aparecer por aqui.
Já temos praticamente tudo agora. Só falta você, meu bichinho-piguiça!

Fica também o vídeo indicado pela Dani Nowak sobre como cortar as unhas do bebê.

Beijocas! Até logo mais. 

Mantinha fofa que tia Juliana Nasato deu

Bebê conforto, mantinha de girafa e travesseiro de amamentar: dinda Dani

Almofada de fuxico da vó Raquel e bichinhos da promoção de Páscoa

Além dos CDs, tia Dani também já nos deu muitos livros de oração

Roupinha da vovó Raquel
Da tia Day
 
Roupinha e manta da vovó Sônia, mais a chuquinha que comprei

Embalagem térmica para mamá, da dinda Rapha

Toalhinhas da vó Sônia



2 comentários:

  1. Meu sobrinho amado, ta esperando a Dinda entregar o TCC? Estamos todos ansiosos pela tua chegada, vem logooooo!! bjs Dinda Dani

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agiliza aí tia! Eu quero estar na tua formatura! :-)

      Excluir

Comenta aí que a mamãe fica faceira! E volte sempre, a casa é sua! :-) Ou me mande um e-mail: emanoellew@gmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...