Páginas

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Santo remédio - santas mamães!

Final de semana de muitos passeios

"Tava flio aí tomém?"

Existe uma corrente que une mães e pais do mundo todo. Seus elos invisíveis são bem resistentes porque foram solidificados com amor, solidariedade, carinho e um sentimento de compaixão tão bonito que só a maternidade/paternidade poderia criar. É este laço afetivo do clube dos papais que eu só aprendi a reconhecer depois que engravidei. Em toda parte, onde há uma grávida ou um bebê, estão pais dispostos a compartilhar suas experiências ou simplesmente a trocar um sorrisinho no corredor do supermercado. Agora que faço parte do clube, estou aproveitando dos seus benefícios. Um deles é poder contar com o conhecimento e a boa vontade de quem já passou pelas mesmas dificuldades que enfrento agora. Foi assim que recebi, no último sábado, o primeiro potinho de Funchicórea doado por uma mãe que já não precisa mais do santo remedinho.

Muuuuuuuuuito obrigada querida prima Josema, que me acompanha por aqui desde o início. A Jô ligou pra minha mãe que foi buscar lá na casa dela, em Castro, e mandou entregar pelo meu irmão aqui em casa, o pozinho que vem ajudando e muito a acalmar meu pequeno nos tristes momentos de dor. Outros potinhos estão a caminho.

Às mamães Rafa Kuhnen e Lisa, minha imensa gratidão. A Rafa encaminhou pelo Correio lá de Minas Gerais e a Lisa está mandando também por Sedex de Santa Catarina. Meu piá vai ter Funchicórea de três estados diferentes, já que o produto sumiu das farmácias. Mir de chique né? É com a solidariedade destas queridas amigas que agora conto para ajudar meu filhinho. E tem funcionado!!!

Na semana passada a gente sofria juntos as crises de cólica todas as manhãs e todas as noites. Graças ao bom Pai, elas diminuíram e quando aparecem já não duram tanto tempo e nem levam a tamanho desespero. Mesmo assim, quando sinto que meu bebê está com dor de barriga e ela persiste, coloco um pouquinho da Funchicórea na chupeta e ele logo se acalma. Tem sido uma bênção. Talvez não resolva a dor, mas acalma meu piazinho e com isso é mais fácil enfrentar a danada da cólica.

Outras dicas super importantes chegaram de todos os lados e quero muito agradecer às mamães que se identificaram com minha situação e até a um papai que sabe bem o que é a crise dos três meses. Meu primo Reginaldo também está na corrente.

Separei, portanto, algumas das principais dicas e, embora eu não use tudo isso ao mesmo tempo, podem ser táticas importantes.

Assim é melhor!

O que aprendi contra a cólica:

- Funchicórea na chupeta (essa você já sabia)

- Buquê de Lactente: é um fitoterápico vendido na Rondafar em Castro (apenas R$ 13) - recomendação da Adri. Quem fez a enorme gentileza de comprar para mim e me mandar entregar em casa foi a dinda Rapha (obrigada comadre!). São quatro gotinhas quatro vezes por dia. Comecei a usar ontem e não posso dizer ainda que funciona, mas Joãozinho passou super bem. Só teve uma manhazinha ontem a noite e hoje nada ainda.

- Água de coco: uma colherinha algumas vezes por dia. A dica é da Taciane, que sofreu com sua pequena Lívia e encontrou forças na água de coco. Não cheguei a dar, porque ainda não foi preciso.

- Chá de Erva Doce: a mãe deve tomar o dia todo. Eu já faço isso desde a primeira semana, até porque como estou fazendo uma dieta bastante restritiva, sobra pouca coisa para beber. Não tomo sucos, refrigerantes, leite...

- Atroveran: duas gotinhas num pouquinho de chá de Erva Doce. Quem ensinou foi a benzedeira e a Rafa também usou com a Gabi. Eu fiz isso duas vezes, quando a choradeira tava demais. Mas prefiro não usar. É muito remédio né? Não quero dopar meu filhote.

- Simeticona/Dimeticona: foi a recomendação do médico. Usei bastante na primeira semana das cólicas, quando ele chorava forte. É o Espasmo Flatol, que ajuda a eliminar os gases. Agora estou evitando.

-Remedinho de Pirassununga (nada a ver com a pinga, rere): esse ainda não chegou. Foi recomendação da Isabela, que acabou de ganhar a Valentina (parabééééns!!!). Parece que em Pirassununga (SP) há um médico super concorrido que criou uma fórmula milagrosa para as cólicas do bebê. A Isa mandou trazer um para mim (R$ 16). Isso traz mais esperança. Depois eu conto se deu certo.

- Elexir Palegórico: não usei, mas sei que é uma droga contraindicada para menores de 12 anos e já li que pode trazer complicações cardíacas ao bebê. Então... pra que arriscar né?

- Colo, canções e carinho: meu bebê já reconhece minha voz, me segue com o olhinho e fica mais calminho quando falo, canto e embalo ele. Às vezes o chororô é forte e ele nem me dá bola, mas em geral a manha cura só com carinho. 

- Bolsa de água ou compressa quente na barriguinha: ajuda, já fiz. Mas tenho medo de queimar ele e procuro evitar. Sou meio estabanada ainda.

- Massagem com óleo: uso o da Natura. Mas sinceramente, quando o bicho tá pegando mesmo não adianta.

- Ginástica: funciona melhor quando o papai faz. Acho que ele tem mais jeito. Fica mexendo as perninhas do pequeno e faz movimentos de bicicleta. Até um Moon Walker rola... rerere. Tive que rir quando vi o João fazendo o passinho do Michael Jackson no piá, rarara. Ajuda sim. Ele elimina os gases mais rapidinho.

- Dieta restritiva: deixei de comer quase tudo o que gosto. Nada de chocolate, leite muito pouco, sucos, refrigerantes, frituras, frutas cítricas, vinagre... Já me disseram até para não comer massa, batata e carboidratos em geral. Mas aí sobra o que? Carne e só? Ah não rola...


- Muuuuuuuuuita paciência e calma: não façam como eu no começo, que chorava junto, rere.


Resista, se puder! rere

Vacina sem-vergonha!

Bem amiguinhas e amiguinhos queridos... Desde sexta-feira temos tido muito mais paz aqui. Joãozinho melhorou sim e isso me deixa super feliz. Mas antes disso, na quarta-feira, quase pirei. Foi o dia do teste do ouvidinho e da segunda dose da vacina contra a Hepatite B. Levantei cedinho para dar conta de dar banho nele, tomar banho, almoçar e sair a tempo de chegar para a consulta à uma hora.

Parece fácil e rápido né? Mas é bem complicado sair de casa com horário marcado porque só nesse intervalo aí, da manhã até a hora do almoço, Joãozinho pede o peito umas três vezes. E naquele dia ele estava com dor. Foi dose. Coloquei ele no carro aos berros e com o movimento foi se acalmando. Chegou dormindo como um anjinho e passou pelo teste do ouvidinho sem problemas. O drama começou com a vacina.

Ai meninas que ainda não são mães... preparem-se para quando isso acontecer com vocês. O coração da gente se estraçalha. A enfermeira ainda pede pra mãe segurar a perninha enquanto ela aplica aquela agulhona no bebê. E dá-lhe choro. Aí não houve o que aquietasse. Parei o carro no meio do caminho para dar o peito, ver se melhorava. Mamou desesperado e continou o berreiro. Minha casa nunca foi tão longe! Semáforos nunca foram tão terríveis. Tentei abstrair, fingir que não estava ali para não entrar em desespero junto com ele... mas como ignorar a dor do seu filho? Me senti muito mal e culpada por deixá-lo chorar nesse percurso. Não havia muito o que fazer.

Passei o resto do dia tentando consolá-lo. Dormiu suspirando e de noite me deu mais um baile. Fomos até às 11 horas na crise. Acho que ele se estressou demais, pecado. Fui dormir chorando e frustrada. Com medo da próxima vacina (é aquela que dá reação).


Ainda bem que depois disso ele melhorou bastante. Tanto que tivemos um final de semana maravilhoso com direito a compras no shopping pra mamãe (que tava quase pelada), supermercado e almoço fora com a família. Claro que nessas ocasiões a gente faz pit stop no carro pra mamar, mas no geral deu tudo certo. Ele adora andar no carrinho.


Daqui não saio, daqui ninguém me tira!

Ofurô do Neném

Outra coisa que ele ama é tomar banho e ficar nu. Tenho a impressão de que se ele pudesse escolher, moraria na praia do Pinho, de tão naturista que é. rerere.

Agora está cada vez mais serelepe. Coloco os pezinhos dele na borda da banheira e ele fica se impulsionando para trás. Preciso ter cada vez mais força nos braços, porque o molequinho tá crescendo muito e já é bem um pacotinho pesado.

A novidade foi que tentei dar banho de balde nele (veja dicas no Blog da Carolina Olinda, da Gazeta do Povo). Ainda não tenho o balde apropriado para bebê, mas usei o da lavanderia mesmo. Limpei bem, desinfetei, coisa e tal, e lá fomos nós. O primeiro banho foi meio desajeitado, mas ele adorou! Recomendo! Ficou lá com o olhinho parado de tão relax. Só que eu não me ajeito muito bem e ainda me sinto mais segura na banheira mesmo. Vamos ver com o balde apropriado.



Tarefa diária: fazer a mamãe e o papai felizes!

Rotina

O crescimento do Joãozinho é visível. Até eu me surpreendo. Hoje fui colocar uma roupinha que ele usou só uma vez e... ahááá! Não serve mais. Tudo o que é de tamanho RN (recém-nascido) já não serve e até a fralda P está ficando no limite. Deve ser porque ele mama sete vezes por dia e engorda como um leitãozinho. auhauhau.

Continuo na tentativa de colocá-lo na rotina recomendada pelo livro Nana Nenê. De certa forma estou conseguindo, mas quando tem cólica no meio... a rotina já era. Em geral ele acorda entre 6 e 7 horas da manhã para a primeira mamada. Faz uma manha às 8 horas, preciso ficar embalando para voltar a domir. Todo dia é igual. Sabe-se lá por que...

Entre 10 e 11 horas nova mamada. Depois entre 13 e 14 horas. Novamente às 16/17 horas. Aí começa nossa luta. É no final do dia que as dores aparecem. Às vezes acho que nem é dor, mas tédio mesmo ou simples vontade de se expressar. E ele se expressa como? Chorandoooo!

Desse horário até às 23 horas ele mama como quer. Quinze minutos agora, cinco depois, mais cinco outra hora, aí 45 minutos... Até se acalmar. No meio disso tudo tasco-lhe na banheira pra distrair. Enfim ele adormece e só vai acordar novamente lá pelas 2 ou 3 da madrugada para mamar.

A cada mamada, fraldinha sequinha, tempinho para arrotar, uma cançãozinha de ninar. Coloquei várias no celular, aí fico andando com ele pela casa. A favorita é, como eu já previa, a do Ursinho Pimpão. A voz da Simoni tem poder sonífero.

Para mim sobram os intervalos, geralmente de uma hora e meia, entre cada tarefa. Estou acostumando a dormir picadinho, mas ainda resmungo um pouco para levantar de madrugada, rerere.


Contagia né?
Ele sorri!

Outra novidade nesta semana é que Joãozinho já sorri acordado. Aquelas fotos dele sorrindo que já postei aqui eram durante o soninho, depois do mamá. Agora o bichinho tá espoleta e sorri acordado. Juro que até ouvi som de risadinha outro dia. Ele também segura tudo o que vem pela frente. Agarra-se ao meu cabelo ou no sutiã enquanto mama e é uma delícia quando prende firme o dedo da gente.

É pouco é? Que nada... para uma mãe, cada coisinha que ele faz é uma nova conquista. Fiquei babando no dia que ele abriu o bocão num sorriso lindo pra madrinha Dani. E agora fico me esforçando na palhaçada para ver se ele ri o tempo todo. rere. Imagine quando tiver na escolinha fazendo apresentação pro Dia das Mães? Ooooow.

Ele se mexe com mais firmeza e já começa a expressar sua personalidade. Já consigo entender do que não gosta e até que ele prefere o peito esquerdo ao direito. É justamente o que dá mais leite. Não vomita, felizmente. Nada de refluxo, ufa!


"Cantanu uma ópela"

O que vem por aí


Domingo é Dia das Mães! O meu primeiro como mãe. Ah que emoção!!! Acho que vou adorar. O plano é almoçarmos em Castro, com minha mãe, e depois seguirmos para Tibagi. Visitaremos as avós, com a mãe do João junto, claro. Aproveitei e avisei a tchurma de lá para irem conhecer meu fofoletizinho e pelo visto teremos uma tarde super animada na companhia dos amigos. Ai que saudade!

Daqui a três dias acaba a tal dieta, o tempo de resguardo, a quarentena que eu não obedeci, auhauah. Lembro de como era antigamente. Lá na Serra, a vizinha Ica teve cinco filhos e na dieta de cada um deles ficava trancada num quarto escuro porque nem a 'réstia' do sol a criança poderia ver. O bebê ficava enrolado feito um casulo e a mãe não lavava os cabelos por 40 dias!!! Eca! Não podia ficar sem meia, varrer a casa, fazer esforço algum, ouvir notícia triste, não podia nada e só tomava canja durante as seis semanas! Ui! A casinha de madeira tinha fogão à lenha, então imagine o fumacê que era. Ainda bem que os tempos são outros.

Eu já lavei o cabelo na maternidade mesmo, faço faxina na casa desde a segunda semana (sem muita força, claro) e levo uma vida quase que totalmente normal, tirando as restrições da alimentação. Felizmente não tive a tal recaída nem as dores de cabeça frequentes em mulheres na dieta.

E assim se vai esta primeira etapa da minha aventura como mãe fresca - e feliz. Com algum sofrimento, é verdade, mas com muita alegria por ter ao meu ladinho, 24 horas por dia, um príncipe lindo que enche minha vida de luz. Ser mãe é padecer no paraíso, já diz o ditado. Agora sei bem o que isso significa.

Devo voltar ainda nesta semana, mas se não der tempo, já deixo os parabéns para toooooooooodas as mamães que me acompanham aqui. Um beijo super especial para a Karina Carneiro e a Isabella Magalhães, que acabaram de ganhar suas bebês Isabela e Valentina! Sejam bem-vindas mocinhas. Que tenham caminhos lindos pela frente. E um beijo maaaaaaaaais que especial para a linda, maravilhosa, perfeita, exuberante, divina dona Raquel - minha mãe. Agora que sei tudo o que você enfrentou para me colocar no mundo, meu amor ficou ainda maior por ti, mamis!

Estarei contigo em teu caminho, filho amado!

Para finalizar, um videozinho lindo em homenagem às mamães! O trabalho mais difícil do mundo é também o melhor trabalho do mundo! Parabéns às treinadoras campeãs!


Abraço, Manu - mamãe!




Minha vida!

11 comentários:

  1. Nossa, esse teu relato parece um "flashback" da Nat, roupa que não serve sem ser usada, cólicas, ursinho pimpão, kkkkk.
    Mas o mais importante é a felicidade diária que esses pimpolhos proporcionam.
    Bjs e felicidades, daqui alguns dias vamos aí conhecer o baixinho, a Natália fica falando que quer conhecê-lo todo dia.
    Reginaldo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, a Simoni é ótima pra adormecer criança né? rerere

      Excluir
  2. Venham siiiiiiiiiiim primo. Estamos esperando!!! Beijos

    ResponderExcluir
  3. Fiquei toda bobona aqui, me enchi de orgulho, sou a madrinha mais "facera" que existe. Amo vcs Dinda Dani

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dinda que não é de Olinda!!! :-) Hoje ele sorriu pra vovó Sônia também. Um arreganhado!

      Excluir
  4. Linda familia que adoro, Gugu esta cada dia mais lindo Manu.
    Adorei as dicas
    beijosssss
    Lu

    ResponderExcluir
  5. Olá Manu seu filho é lindo, ele lembra muito o meu afilhado que hoje esta com 3 anos, uma delícia né... um amor díficil de explicar!!!
    beijos à você e ao seu pequeno muita saude
    Dinda Mô

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah então teu afilhado é lindo mesmo né? rerere. Um beijo querida!!!

      Excluir
  6. Olá mamãe!!! e ai como andam essas cólicas?
    Espero que já esteja passando esse tormento!! rss

    beijoo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thais! Meu pequeno está beeeeeeeeeeem melhor das cólicas. Ainda tem uma dorzinha no final do dia, mas passa com uma dancinha pela sala, musiquinha e um pouco de espasmo flatol. Coisa rápida. No final de semana ele teve um siricotico que não sei ainda bem certo o que foi, ficou sem mamar direito e chorou bastante, mas não era cólica. Já passou, felizmente. Agora é só alegria! :-) E por aí, tudo bem? Beijo

      Excluir

Comenta aí que a mamãe fica faceira! E volte sempre, a casa é sua! :-) Ou me mande um e-mail: emanoellew@gmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...