Páginas

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Onde é que abaixa o volume do mundo?


 Onde é que abaixa o volume do mundo?

Outro dia o marido me fez esta pergunta e também me dei conta do quanto o ruído aumentou desde que Joãozinho nasceu. Não que ele seja barulhento. É que a gente está com os ouvidos mais sensíveis. A audição da mulher muda completamente quando se torna mãe e, embora não acorde se o trem passar quase dentro de casa, desperto com o primeiro gemidinho do pimpolho na madrugada. Além de mais seletivos, nossos ouvidos também ficam mais intolerantes aos sons que perturbam a 'ordem e o sossego' da família que tem um recém-nascido em casa.

Acompanhe comigo! Aquela tarde em que o pequeno teve cólica, tá manhoso e eu passo meia hora ninando no colo, ele teima em não querer dormir mesmo com o olhinho pequeno de sono, finalmente encosta as pálpebras, coloco no bercinho e saio na pontinha do pé para garantir que 'engate' num sonho lindo com os coleguinhas anjinhos... É aí que entra o maldito 'carro do churros que está passando', o ambulante que aperta a campainha até estourar para oferecer DVD pirata, o carro de som anunciando a festa do final de semana (se soubessem o quanto esta mídia é incômoda investiriam mais nas redes sociais), o ônibus passando em frente de casa tão apressado que até faz vento, aquele motoqueiro desgraçado desligado que deixa o escapamento estourando, a porta que bate com o vento, a tampa da panela que cai lá na cozinha... Já era! Aí já pode acrescentar mais um som alto: o neném chorando.



Eu sei que há vários estágios de sono e quando Joãozinho entra na fase profunda nada o acorda facilmente, como quando o pai dele usou a furadeira até deixar a mãe quase surda e ele continuou dormindo. Só que na fase inicial, qualquer barulhindo é fatal. E só quem é mãe sabe o que é ficar com os braços musculosos de tanto ninar a criança num dia de dengo. Sei também que ele precisa aprender a dormir sozinho, sem balanço, musiquinha ou manha qualquer. E isso ele já faz bastante. Porém, tem dias que é só com o colinho que Morfeu abraça meu pequeno.

É por isso que perco a paz de espírito quando passa o boyzinho com som atuchado no último no sertanejão, ou quando esqueço de pôr o telefone no silencioso e o pessoal do telemarketing liga para torrar. Isso acontece todo dia! Não posso pedir pro mundo silenciar só porque meu bebê resolveu fazer manha para dormir, mas bem que dá vontade de construir um quartinho isolado acusticamente, rerere.


Ei mamães... Com vocês é assim também? Minha mãe sempre me repreende e diz que o moleque tem que se acostumar com a barulheira, porque fulaninho não sei quem ia ao baile com a mãe desde que nasceu, beltraninho era acostumado com o falatório da família que adora gritar à mesa e cicraninho sempre dormiu bem até no meio do foguetório. Mas eu ainda gosto mais do silêncio. Joãozinho também!

Nessa onda aí, já até exagerei. Botei a TV no volume 4 e parecia gritar. Diminuí ao mínimo e assisti com closed caption para não incomodar nosso neném, quando ele ainda tinha poucos dias, rerere. Agora a pira toda já diminuiu e ligo o secador de cabelo sem dor na consciência. Percebi que ele até gosta do chiado e obtive respostas no link que a Juliana Nogueira me indicou: Soluções Para Noites Sem Choro.

Segundo a teoria da Extero-Gestação, os humanos nascem antes do tempo com os cérebros ainda em desenvolvimento e passam um longo período totalmente dependentes das mães. Segundo o site, há cinco meios de tornar a jornada do primeiro ano fora do útero mais confortável para um bebê. A primeira representa proteção ao embrulhar o bebê como num pacotinho (lá dentro era apertadinho). A posição de lado é melhor para ele dormir, já que não gosta de ficar de costas. O balanço também faz lembrar o movimento que havia na vida intrauterina e a sucção, de chupeta por exemplo, é outro fator recomendável. Com relação ao som, a sugestão é por um Shhh Shhh, que imita o barulhinho que havia dentro da mamãe (por isso gostamos do barulho do mar). Enfim, vale dar uma olhadinha no site.


Outra coisa interessante se refere ao apego entre mãe e bebê. Aquilo que a gente chama de dar manha pro neném, é, de acordo com esta teoria, essencial para o bom desenvolvimento. O contato físico permanente é que deveria ser estimulado, conforme o texto. Olha só: "Em algumas culturas, como na tribo !Kung, bebês raramente choram por longos períodos e não há sequer uma palavra que signifique “cólica”. As mães carregam os bebês junto ao corpo, com um aparato semelhante a um “sling”, mesmo quando saem para a colheita. A relação mãe-bebê é considerada sacrossanta, eles permanecem juntos o tempo todo. O bebê tem livre acesso ao seio materno e vê o mundo do mesmo ponto de observação que sua mãe".

Interessante né? Diferente do que aconselha o livro Nana Nenê, que propõe um treinamento para fazer o bebê dormir por mais tempo e quanto mais cedo. É sempre importante ouvir outras opiniões.

Por falar em outras opiniões, adoro quando vocês deixam suas sugestões aqui ou no face. Como o texto também indicado pela Ju sobre compartilhar a cama com o bebê. Eu comemorei aqui o fato de deixar meu filhinho dormir já no seu quartinho antes mesmo de completar dois meses, lembram? Então, nesse link há bons argumentos para que mamães e filhinhos durmam juntinhos. Bem bacana também. Olha aí: http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=1122463&tid=2584148218483802754


Aproveito a deixa para ressaltar que sou mãe de primeira viagem e estou aprendendo tudo na prática. Vocês já notaram que sou empolgada demais, às vezes, e vou fundo na coisa. Vivo a maternidade tão intensamente desde o início que de repente pode parecer que estou aqui repassando conhecimento. Na verdade, só compartilho as minhas experiências... que são as que funcionam comigo. Isso não quer dizer que funciona com todo mundo. Li muita coisa nesse tempo todo, escutei muitas orientações de mães e médicos e aprendi que no dia a dia o que funciona mais é a INTUIÇÃO. Portanto, mamãe que vem aqui, nem tudo o que deu certo pra mim pode ser útil pra você. Cada mãe é uma mãe, cada bebê é um bebê e não há regras nesse universo maravilhoso chamado maternidade.


Vacinado

Por falar em dar certo ou não, contei aqui que a pediatra havia me orientado para dar Tylenol pro Joãozinho meia hora antes da vacina. A recomendação é polêmica porque alguns pediatras acreditam que o remédio pode atrapalhar no efeito da vacina, impedindo que a reação (febre, dor) aconteça e isso seria necessário para de fato criar imunidade. O Baby Center tem até um tópico sobre a controvérsia: http://brasil.babycenter.com/baby/vacina/aliviar-dor/
 
Ontem eu tomei coragem e enfrentei a temida vacina tetravalente. Agora de experiência própria reforço que cada bebê é diferente. Eu estava morreeeendo de medo da reação. Achei que meu piazinho ia chorar dia e noite. Mas que nada. Está sendo super tranquilo, foi pentavalente meu menino, rere.

Até chamei minha sogra pra ir junto vacinar ele e foi menos traumático do que eu esperava. Ela segurou as perninas para a agulhona entrar (foram quatro vacinas de uma só vez) e eu fiquei falando no ouvidinho dele, tentando explicar o que estava acontecendo ali. Claro que chorou de dor, mas rapidinho já estava bonzinho. Voltou pra casa quietinho. Ah, eu dei remedinho antes.


Também tive que dar Tylenol de madrugada, quando fez uma febre de 38°. Monitorei o tempo todo. Montamos acampamento na sala e dormimos todos bem pertinho. Deu tudo certo. Graças a Deus ele não teve cólica ontem e hoje e está dormindo e mamando super bem. Ficou meio manhosinho, faz beicinho quando a gente encosta nas perninas furadas... mas está bem mais forte do que eu imaginava. Vou para a próxima vacina, dia 2 de julho, menos preocupada.


O importante é que agora ele está protegido contra difteria, tétano, coqueluche e infecções provocadas pela bactéria Haemophilus influenzae tipo b (vacina tetravalente (DTP Hib). Tomou também a primeira dose contra a poliomielite ou paralisia infantil (VOP, em gotinhas) e da contra o rotavírus (VORH, em gotinhas), além da dose pneumocócica 10-valente, contra dez tipos da bactéria Streptococcus pneumoniae, causadora de diversas infecções, principalmente da meningite e da pneumonia.

Fico orgulhosa de pertencer a um país onde todas essas vacinas estão incluídas no calendário gratuito! Ah, destaque para a caderneta de saúde da criança que a gente ganha ainda no hospital. É bem completinha, com orientações sobre como cuidar das criancinhas, importância da amamentação, calendário de vacinas e tabelas de pesos e medidas. Adorei.




 Sobre a semana: Joãozinho não tem tido tanta cólica, felizmente. Recebemos a visita dos primos Reginaldo e Elisete e sua princesa Natália. Um docinho ela. Linda linda. Minha mãe e minha comadre Rapha também vieram me ver e deixaram minha segunda mais feliz. Faltou água desde sábado na cidade e foi um caos. Muita chuva e muito frio. Hoje é que pude lavar a rouparada. E assim vamos...

Dica do dia (encontrei no blog da Família Palmito, que eu adoro)

Conheçam e apaixonem-se pelos textos deste pai que escreve toda segunda-feira. O Antonio é um filho especial e o pai dele, Flizan, sabe expressar de forma linda, encantadora, o amor imenso que surgiu com seu nascimento e que aumenta a cada passinho da sua evolução. Comece pelo post sobre como ele descobriu a síndrome do cromossomo 6 em seu bebê (separe um lenço): http://www.flizam.com/2011/11/coracao-entreguista.html



Videozinho da semana (Surrupiei do blog Super Pai)

Já que o assunto é criança especial, selecionei as imagens abaixo como sugestão para você também se acabar de chorar de emoção. Nascido com deficiência auditiva, Cooper recebeu um implante aos dois anos e, no vídeo, o momento em que ele ouve a voz de sua mãe pela primeira vez. 






Um beijo pra você e até a próxima. Bom feriadão
 
PS.: Reparou no efeito Instagram das minhas fotos? Eu não tenho Iphone mas, tchan tchan tchan tchan... O http://pixlr.com/o-matic/ faz esta mágica por mim. Super recomendo. Me diverti. Beijocas.

Adoramos a visita dos primos Reginaldo e Elisete e da princesinha Natália
Fé em Deus! rere

8 comentários:

  1. Manu suas fotos estão lindas, vcs estão lindos!

    Juro que nem parece que passaram por longos dias de dor e choro com muitas cólicas!

    O meu maior ódio barulhesco é o da moto do motoqueiro sem noção, na minha rua é cheio desses mulekes que andam empinando a moto sem capacete pra se mostrar pras piriguets fazendo o maior barulho. O carro de som tbm é teste de sono e paciência para nós.

    Beijo procês e parabéns pelo blog que esta chiquérrimo com essas fotos lindas de vcs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então Thais, tem o cara que buzina tanto também que dá vontade de mandar ele cheirar o dedo né? kkkk. Beijo menina! Apareça sempre. E obrigada pelo carinho. :-)

      Excluir
  2. Manu, querida, fico feliz por terem vencido as reações da vacina tetra. No final deste mês o Pedro vai para a segunda dose (que medo), depois será aos 6 meses, aí sera encerrada a etapa da "agulharada". Fazer o que, precisamos deste mal necessário, porém ainda nao entro na sala de vacinação, nao consigo, é sempre minha cunhada ou minha mãe. Quanto aos barulhos,tbem queria descobrir onde abaixa o volume. Tem dias que o Pedro dorme bem e fácil, como nos dias frios, mas em outros a coisa fica difícil. Ruim mesmo vai ser voltar ao trampo, to louca pra pegar esta piriguete que queimou o sutiã em praça pública! Ah fulaninha $#%#&* kkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  3. Manu, querida, fico feliz por terem vencido as reações da vacina tetra. No final deste mês o Pedro vai para a segunda dose (que medo), depois será aos 6 meses, aí sera encerrada a etapa da "agulharada". Fazer o que, precisamos deste mal necessário, porém ainda nao entro na sala de vacinação, nao consigo, é sempre minha cunhada ou minha mãe. Quanto aos barulhos,tbem queria descobrir onde abaixa o volume. Tem dias que o Pedro dorme bem e fácil, como nos dias frios, mas em outros a coisa fica difícil. Ruim mesmo vai ser voltar ao trampo, to louca pra pegar esta piriguete que queimou o sutiã em praça pública! Ah fulaninha $#%#&* kkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  4. rarararra... mas ainda falta bastante Ju... Fica tranquila, ainda restam uns cinco meses para voltar. Pense que talvez até lá você recupera um pouquinho da vontade de trabalhar, rerere. É dureza né? Eu só vou procurar emprego este ano se as finanças da casa exigirem, senão, só em 2012. Vou ser mulher à moda antiga e pronto. Tão bom ficar em casa. Eu tô curtindo. Achei que ia sobrar mais tempo, mas que nada... eles nos ocupam muito né? Beijo Juuuuuuuuuuuu e força na vacina. A próxima nem vai doer porque o Pedrinho já tá grandão, cê vai ver!

    ResponderExcluir
  5. Susieme G. de Quadros11 de junho de 2012 19:38

    Oi Manu o Pedro Guilherme tbém passou super bem pela tetra.. e tbem teve 38º de febre a noite, mas foi bem tranquilo.. passei hirudoid em volta da vacina na perninha pra ajudar a não doer tanto.. achei q foi bom... nossos pimpolhos crescem muito rápido né... abçs

    ResponderExcluir
  6. Susi... Eu nem a pomadinha precisei passar, graças a Deus! O meu cresce assim de um dia pro outro... Me surpreendo olhando as fotos dele recém-nascido. rerer. beijo querida. Apareça sempre.

    ResponderExcluir
  7. Oi Manu! Adorei seu blog, e esse post está ótimo! Beijos!
    Giovanna.
    www.vidadesamira.blogspot.com

    ResponderExcluir

Comenta aí que a mamãe fica faceira! E volte sempre, a casa é sua! :-) Ou me mande um e-mail: emanoellew@gmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...