Páginas

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Dia das Crianças: menos presente, mais presença

Nesta semana tem Dia das Crianças e antes de sair correndo comprar um super brinquedo lindo pro filhão, quero compartilhar aqui duas reflexões bem interessantes que me foram sugeridas e reforçam o que já penso: mães e pais devem saber de sua responsabilidade e ser mais presentes na vida das crianças! E falo de causa própria, afinal, aqui em casa, embora a gente se esforce, é preciso admitir que as coisas ainda não estão perto do ideal.

1) Diz aí, doutor!

Neste vídeo, o pediatra José Martins Filho enfatiza a relevância da maior participação dos pais na rotina dos filhos, no desenvolvimento da personalidade, cognitivo e até biológico das crianças. Foi a querida da Angelita Kobay Prestes, que conheço daqui do blog, quem me enviou pelo face. Eu ameeeeeei tudo o que este médico disse e recomendo que você tire 15 minutinhos para ouvi-lo.

A rotina dos papais contemporâneos é isso aí... trabalho demais, horas de menos, carinho e atenção aos filhos com hora marcada. Acabamos terceirizando a educação dos nossos filhos quando precisamos deixá-los na escolinha, com a avó, com a babá e nem sempre é fácil dispender de tempo inclusive aos finais de semana.

A gente pode se culpar, se cobrar, rolar no chão, mas se de fato não houver mudança, nada adianta. Por isso concordo que as pessoas precisam pensar se querem e podem ter filhos. É importante refletir se haverá tempo e disposição para participar da vida desta criança.

O que ouvi aqui foi fundamental para confirmar a decisão que já tinha tomado, de ficar em casa por mais um tempo - enquanto der. Não se trata de abrir mão da carreira para ser mãe, apenas e simplesmente, mas de dedicar o tempo que eu posso ter a ele neste primeiro ano de vida. Sei que esta realidade é "um luxo", um privilégio meu, porque a maioria das mães precisa tirar a criança do peito no quarto mês e voltar com o coração dilacerado pro trabalho.

"É evidente que o pai é fundamental e é evidente que ele tem que participar da educação do seu filho", diz o doutor ali. Mas é evidente que o pai nem sempre pode estar presente como deveria. E aqui em casa é assim, por enquanto. João não tem tempo. Ele se cobra, eu cobro ele, nós dois lamentamos, mas o fato é que o pai do meu Joãozinho está vivendo uma fase complicada de sua vida e por isso eu decidi ficar em casa para não deixar o pequeno perdidinho, sem referência de pai e mãe.

João sai às sete da manhã e nos deixa agarradinhos na cama, todos os dias, sempre com aquele ar de "como eu gostaria de ficar aqui". Dirige 100 km até chegar ao trabalho e retorna no final do dia direto pra faculdade. Chega em casa depois das 10 da noite, morto de canseira, quando Joãozinho já está dormindo. Raramente tem tempo de ler o blog e provavelmente nem vai ver que eu contei tudo isso aqui, rerere.

Restam os finais de semana para os dois se entenderem, mas ultimamente tem sempre algum compromisso do tipo fotos da sessão de formatura, provas, TCC... Sem falar que é o único tempo que temos juntos e para ver a família, ir ao mercado, resolver coisas da casa. Não é fácil para eles.

O que nos conforta é saber que a fase é passageira. A faculdade já vai acabar e não vejo a hora de dezembro chegar para finalmente termos o papai em casa. Acho que ele também está ansioso por isso. Aí, enfim, poderemos quem sabe seguir as recomendações do doutor José.


2) Menos presentes, mais presença!


A segunda reflexão é do blog Infância Livre do Consumismo. A imagem acima é parte de uma campanha para orientar pais sobre a importância do afeto e alertar para as artimanhas de marketing no Dia das Crianças. Quem não conhece um pai/mãe que tenta suprir sua ausência com brinquedos caros e lindos?

Mais importante que o brinquedo é a brincadeira. O desejo da criança não está no objeto de consumo, mas na presença dos pais numa brincadeira.

Pois bem... passei mesmo só para registrar isso aí, mas volto logo. E você? Concorda ou pensa diferente?

Beijinho

14 comentários:

  1. Esse vídeo é fantástico.......ja vi.longo porém de estrema importância para quem pensa em ser pai e mae ......amigacomenta

    ResponderExcluir
  2. Manu! concordo com tudo que você disse e o video é realmente otimo. Infelizmente não existe qualidade de tempo se não houver esse tempo. E é isso que as pessoas precisam saber, desacelerar por um periodo, enchugar contas, programar a vida antes da maternidade. Para que um serzinho que não pediu pra nascer não sofra as consequencias de uma maternidade por pura vaidade. Sou radical nesse assunto, não tem as minimas "condições" de criar, não tenha filhos. Otimo post
    Bjsss
    Tamy #amigacomenta

    ResponderExcluir
  3. Deixei um concurso público, um emprego que eu gostava para me dedicar ao meu filho. Foi difícil, até chegar a essa decisão foi doloroso. Mas vivo cada aprendizado, cada sorriso, cada dodói inteiramente. E agora me dedico a um outro lado profissional. Sei que muitas mulheres não podem fazer isso,mas acredito que o importante também seja ter consciência da própria importância na vida do filho, e não se deixar levar pela rotina e pelo cansaço, pois o filho é pra toda vida, e cria-lo é nossa obrigação, com ele, conosco, e com a sociedade!
    #amigacomenta

    ResponderExcluir
  4. Eu estou vivendo a fase de ter que deixar meu bebê na creche e voltar a trabalhar. As duas primeiras semanas foram terríveis mas estou aprendendo a aproveitar nossa companhia ao máximo. Qq tempinho na hora do almoço wu aproveito para estar com ele ( alguns me sugeriram aproveitar esse tempo e ir no salão ou na academia mas eu prefiro mil vezes estar com ele) e assim a gente vai se rebolando pra dar o máximo de tempo, amor e dedicação a esses pequenos que, em troca, nos ensinaram o que eh amor incondicional. Bjo Flavia# amigacomenta

    ResponderExcluir
  5. Muito legal o teu post,eu já tinha visto esse video,concordo com a qualidade do tempo que dedicamos aos filhos,eu tbm parei de trabalhar p/ me dedicar a minha filha,não condeno que não pode deixar o trabalho p/ cuidar dos filhos em tempo integral.Compensar com presetes é perigoso,mas cada cabeça uma sentença.Amenizar o consumismo nas crianças é uma tarefa p/ nós os pais(tarefa difícil)mas não impossível.
    bjs
    #amigacomenta

    ResponderExcluir
  6. Nossa. Ele tem uma consciência que dói. Essa equação é difícil, cheia de culpas, de tentativas, de erros e acertos. Eu particularmente adaptei minha vida para acompanhar a de Joaquim. Ainda passo por muitas dificuldades, mas é minha prioridade, mas sei que o assunto é muito complexo e profundo. Gostei muito do vídeo.
    Bjs
    Fabi
    Mulher e Mãe
    #amigacomenta

    ResponderExcluir
  7. Oi Manu,

    Acho q esta reflexão é super válida mesmo!
    Eu não dou presentes no dia das crianças, primeiro porque acho a data puramente comercial e sem um significado maior e depois porque eles ainda são tão pequenos, não faz nenhum sentido comprar presente so pq dizem q é dia de comprar presente!
    Dia das crianças aqui é todo dia em que eu cuido, educo, brinco, leio, danço, canto, alimento... enfim, todas as coisas que a gente já faz cheias de amor e carinho por eles, né?

    Bjo!

    Loreta #amigacomenta;)
    @bagagemdemae

    ResponderExcluir
  8. Tempo...estamos sempre em busca de mais tempo, né? Apesar de trabalhar muito...abro mão de academia, manicure, saídas com amigas o que for preciso para estar ao máximo com meus filhos...mas tb o que priorizo é estar com eles 100% e aproveitar cada segundo!! Se tivesse coragem, pois acredito que todos tem possibilidade, o difícil é ter coragem, eu pararia de trabalhar e me dedicaria a eles,.mas ainda não sou este ser supremo.....o importante é o equilíbrio e tento ao máximo ter isto na nossa família...tema fantástico! Parabéns bjs Camila Mamãe viver BemBom
    http://viverbembom.com.br
    ##amigacomenta

    ResponderExcluir
  9. Olá Comadre, eu concordo com tudo o que você disse e acho que está super certa em se dedicar ao João. Infelizmente não tive esse privilegio, precisei trabalhar antes dos 8 meses da Duda, precisava ajudar nas despesas da casa, mas tive sorte em ter a Rose por perto e também minha mãe. Precisei terceirizar sim, mas me arrependo de muita, muita coisa que deixei de acompanhar, que deixei de brincar por estar cansada, por simplesmente não estar em casa. Se eu pudesse faria tudo diferente. Quando pisquei minha filha já estava indo pra escolinha com 4 anos e dai pra frente comecei a dividi-la com os amiguinhos e tantas outras coisas mais interessantes que eu. Hj ela está com quase 13 anos e sinto que não estive lá o tempo todo. Foi preciso, mas sera que foi inevitável, não sei e quanto mais penso mais me machuco. Por isso eu sinto tanto quando vejo isso acontecer com outras pessoas, se podem evitar, evitem! Brinquem , vao ao parquinho, rolem no chão, façam cabaninhas pra eles dormirem, façam muita bagunça com seus filhos, pois o tempo é cruel, ele passa e não volta mais! Feliz dia das crianças pra meu afilhado amado, que Deus abençoe, amo vocês!

    ResponderExcluir
  10. Olá Comadre, eu concordo com tudo o que você disse e acho que está super certa em se dedicar ao João. Infelizmente não tive esse privilegio, precisei trabalhar antes dos 8 meses da Duda, precisava ajudar nas despesas da casa, mas tive sorte em ter a Rose por perto e também minha mãe. Precisei terceirizar sim, mas me arrependo de muita, muita coisa que deixei de acompanhar, que deixei de brincar por estar cansada, por simplesmente não estar em casa. Se eu pudesse faria tudo diferente. Quando pisquei minha filha já estava indo pra escolinha com 4 anos e dai pra frente comecei a dividi-la com os amiguinhos e tantas outras coisas mais interessantes que eu. Hj ela está com quase 13 anos e sinto que não estive lá o tempo todo. Foi preciso, mas sera que foi inevitável, não sei e quanto mais penso mais me machuco. Por isso eu sinto tanto quando vejo isso acontecer com outras pessoas, se podem evitar, evitem! Brinquem , vao ao parquinho, rolem no chão, façam cabaninhas pra eles dormirem, façam muita bagunça com seus filhos, pois o tempo é cruel, ele passa e não volta mais! Feliz dia das crianças pra meu afilhado amado, que Deus abençoe, amo vocês!

    ResponderExcluir
  11. Os pais têm que entender que presentes e itens de consumo não substituem presença. Essa campanha é muito importante e deve ser continuada mesmo após a semana da criança. Para isso, temos que rever nossas vidas, nosso padrão de consumo, tudo. Faz bem não somente à criança, mas à família também.
    Beijos!
    #amigacomenta

    ResponderExcluir
  12. Manu é importante termos a consciência que nada substitui o amor de mãe e pai e o fato de alguns agir de tal maneira, creio até que deixa o filho mau acostumado e criando ele como consumista também, sendo que o necessário é o amor e carinho. Beijos
    #amigacomenta

    ResponderExcluir
  13. Manu, as vezes dou uma passada por aqui para ver como andam suas experiências de mãe... Adoro a forma como você escreve.
    Estou casada há 2 anos e desde abril desse ano eu e meu marido resolvemos que estamos mais que preparados para ser pais (eu 30 ele 37), e o melhor de tudo queremos muito ser pais, desde então estamos planejando esse momento, como iniciei uma nova faculdade e o curso termina em 2014 chegamos ao acordo de começar as tentativas à partir do segundo semestre do ano que vem, assim mesmo que eu tenha muita sorte e seja abençoada de engravidar assim que parar de me cuidar nosso bebê ficará com o pai a noite enquanto eu tiver na aula apenas 1 semestre, enquanto isso estamos aproveitando para quitar algumas dividas, fazer algumas reservas, e até trocar de carro por um "tamanho família". Estou investindo em um negócio próprio que me dá mais flexibilidade de horário onde possa curtir mais tanto a gravidez quanto os primeiros anos de vida de nosso bebê. Sempre fizemos tudo planejado em nossa vida e acho que assim as coisas funcionam melhor... O difícil está só em segurar a ansiedade pois como estamos loucos para engravidar um tem que segurar o outro o tempo todo para não fugirmos dos planos. Adorei o vídeo pois ele só reafirmou o que pensamos além de querermos ser pais, temos que abdicar de coisas, tempo, e tudo o que hoje achamos importante, depois dará lugar á alguém muito mais importante... por isso o planejamento e a escolha consciente é fundamental. Um dia volto para lhe dar a notícia da minha gravidez ( segundo semestre do ano que vem) Beijos Deus abençoe você e sua família. Ana Maria

    ResponderExcluir
  14. Ana Maria querida... Que gostoso saber que indiretamente faço parte dessa fase gostosa da rua vida, que é planejar um bebê. Faz muito bem em preparar tudo para recebê-lo, mas pelo que vejo, o mais importante já está pronto: o desejo imenso de ter um filho e de se dedicar a ele e a consciência de que ele vai precisar de vocês. Vou ficar na torcida pra que tudo de super certo e, claro, quero saber de tudo. Me adiciona no facebook pra eu te conhecer. :-)

    Ah, e nao se preocupe tanto em deixar tudo tão perfeitamente resolvido, pois muita coisa se ajeita automaticamente. Deus providencia. Com relação à faculdade, persevere sim. E veja se você pode negociar bastantes faltas com os professores nos três primeiros meses do bebe, que é quando ele mais vai precisar de você e geralmente é nesse horário ai, da noite, que "o bicho pega" Rerere. Muitos professores ajudam e mandam trabalhinhos pra fazer em casa.

    Segue assim que vai ser lindo pra vcs tbem, maravilhoso como é pra nós! Um filho não apenas muda a vida da gente, como nos transforma profundamente e nos faz depender deles pra continuar vivendo.

    Beijo, boa sorte e Deus abençoe!

    ResponderExcluir

Comenta aí que a mamãe fica faceira! E volte sempre, a casa é sua! :-) Ou me mande um e-mail: emanoellew@gmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...