Páginas

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

João caiu do berço e a culpa é minha

Agora só grades erguidas e travadas
Meu filho caiu do berço, a culpa foi minha, fomos parar no hospital e a coisa poderia ter sido muito grave, mas foi só um galo, um baita susto e uma grande lição... Antes deste assunto, peço que reflitam comigo:

***

1) As crianças crescem, evoluem e aprendem muito rápido, muito mais rápido do que a gente, adulto, que quase perde o controle sobre o desenvolvimento destes pequenos.

Ontem ele só esticava as perninas e hoje já rola na cama. Da noite para o dia começa a sentar sozinho e do
nada solta as primeiras palavrinhas. Claro que a alegria é imensa a cada novidade e, parafraseando a Loreta, do blog Bagagem de Mãe, que comentou no último post, "de todas as coisas que a maternidade nos proporciona, a mais legal é poder observar um novo ser evoluindo e desenvolvendo e a gente não tem controle nenhum sobre isso, é só vida, pura e simples evoluindo sem pedir licença. Impagável e delicioso". 

É Lô, impagável, delicioso e extremamente perigoso também. Meu filhinho é um serzinho de oito quilos e uma enorme disposição para conhecer o mundo, explorar seu ambiente e o próprio corpinho sem imaginar quanta coisa perigosa pode estar a seu alcance. Quem tem de imaginar e prevenir sou eu, a mãe, quem mais tempo passa com ele...

2) Nosso mundo, o criado pelos homens, é todinho feito pra criança se machucar! Ponto!

Porta prende dedo, quina tira lasca da unha do pé, chão é duro, madeira solta lasca, objetos em prateleiras caem, tomada dá choque, tesoura (até a de cortar unha de bebê) é afiada, forno esquenta e o fogão então é um parque de diversões de sexta-feira 13 dentro da casa da gente! Sim, tudo o que está à nossa volta representa risco pra estas minigentinhas que não sabem sozinhas se defender.

3) Humanos têm lapsos de atenção. Humanos cometem erros. 

Sabe aquela fração de segundo em que a cabeça para, o cérebro dá uma pausa, a atenção vai pras nuvens e a gente faz burrada? Aí a gente bate o carro, pisa em falso na escada, tira uma lasca do dedo cortando cebola, morde a bochecha e bate o cotovelo. É um pequeno instante de distração, mas a consequência pode ser grande.

***

Junte tudo isso e saberá porque João Augusto caiu do berço na última sexta-feira. Caiu peladinho e de cara no chão. De mais de um metro de altura, na cerâmica dura e gelada. Me dá calafrios só de falar.

A gente acordou na maior pilha porque o papai resolveu não ir trabalhar para resolver uma série de pendências por aqui, inclusive estudar pra prova da faculdade. Feliz com a presença do marido, eu estava cantarolando um funk muito do engraçado que escutei no Ídolos da noite anterior. Ao som de "ela bateu na minha porta e me pediu um copo de suco, vai rolar um vuco-vuco", eu tirava o pijaminha do Joãozinho e preparava o banho matinal para irmos à pediatra, que tinha consulta de rotina agendada.

Meu filho acordou sorrindo e dizendo "dá-dá-dá" além de um "mãiiin mãiiiin" que quase soava à "mamãe" naquele dia. Separei a roupa de astronauta pra ele usar pela primeira vez, aproveitando o friozinho. Eu estava tão animadinha que, ao tirar a fralda do pequeno, resolvi mostrar pro papai que o cocô dele tava cheio de cobrinha por conta das primeiras papinhas de banana que ele tinha comido.

Resolvi. Assim do nada. E simplesmente apaguei da mente que ali no berço aberto estava o meu filho, a pessoa mais importante do mundo, o meu maior amor, minha maior preciosidade. Virei as costas e mostrei a fralda. Em menos de um segundo lembrei que o berço estava aberto, foi quando ouvi um barulho horrível que ainda martela na minha cabeça. O barulho da cabecinha dele batendo no chão.

Nenê fica trancadinho né?

Depois disso seguiram-se desespero e oração. Juntei ele do chão e fiz o que tinha de fazer, apesar da culpa e da sensação horrível de medo que algo grave tivesse acontecido. João pai se descontrolou, entortou o óculos no próprio rosto, bateu forte na cama, jogou as cobertas no chão e gritou comigo. Isso em dois segundos.

Em seguida, mais controlado, fez também o que precisava fazer. Vestimos a primeira coisa que apareceu na frente, pegamos os documentos e entramos naquele carro rumo ao hospital. Eu segurei Joãozinho no colo e fui acalmando ele, que no caminho já estava bem mais tranquilo, mas com um galo despontando na testa e um roxo no nariz. Ele quis adormecer e eu não deixei, fiz promessas, rezei pra que Deus olhasse por ele. Ele já tinha olhado. 

Joãozinho mamou no caminho do hospital e depois a médica me alertou para o risco que isso também representa. Nunca se deve amamentar a criança depois de um tombo, um trauma. Ela pode aspirar o leite, vomitar, ter convulsões etc. Graças a Deus não foi o caso. Mais uma vez, eu estava errada. Agora aprendi, mas não quero mais precisar usar este conhecimento, rere.

Ele foi atendido com prioridade e a pediatra plantonista me tranquilizou. Disse que não havia nenhum osso quebrado e que o crânio estava em ordem, mas que mesmo assim ele faria um exame de raio-X para confirmar. Ela me contou sobre outros casos que já atendeu, inclusive de criança com fratura de crânio jorrando sangue pela orelha. Por mais terrível que fosse a história, me acalmava porque meu filho estava bem diante daquilo. Meu marido já estava bem mais calmo e se revezava comigo segurando o bebê, agora super animadinho, sorrindo para todas as enfermeiras e querendo escalar a gente.

Foram duas horas em observação e finalmente voltamos pra casa com a confirmação de que nada, além de um hematoma na testa, afetou a saúde do Joãozinho. Depois o levamos à consulta com a pediatra dele, que contemporizou ainda mais. "É normal, ele ainda vai cair muito", disse com a voz totalmente serena.
Quase não dá pra ver, mas tem um galo cantando roxo ali

É, elas, pediatras, estão acostumadas. Euzinha aqui, apesar de ter vivido no sítio e convivido com três irmãos peraltas que viviam machucados, não estou ainda habituada com a ideia de que acidentes domésticos acontecem e podem acontecer com meu filho.

Neste caso, o acidente deveria ter sido evitado. Até agora fico pensando como pude esquecer que ele estava no bercinho aberto? Talvez a rotina, a repetição... Já troquei ele mil vezes naquele lugar, nunca deixei ele sozinho lá, com a grade aberta, e de repente... um lapso, um instante de bobeira.

Serve como lição e como alerta. Por isso aproveito a oportunidade para mostrar uma cartilha que fala sobre como criar ambientes seguros e evitar acidentes com crianças. Já tinha lido isso antes e acho super válido. A dica é da Chris Ferreira, do Blog Inventando Com a Mamãe. A cartilha é do site da Osmogel e pode ser baixada gratuitamente aqui. Tem inclusive uns gibis super criativos e educativos sobre o tema.

Eu que já noticiei tanta história triste no jornal diário em que trabalhava (como crianças que morrem afogadas em balde com roupa de molho), sei bem o quanto a gente precisa estar mais e mais atenta. Ontem saímos para comprar um chiqueirinho, que nos dê alguma tranquilidade para o soninho dele. Por ora, ele dorme mesmo é com a mamãe e o papai, na cama! Levou vantagem, o bonito! rere.

No final, ficamos eu e João contando nossas histórias de acidentes na infância. Lembrei do quanto o Robson, meu irmão caçula, era danado: enfiou feijão no ouvido, cortou o pé com caco, enfiou prego no pé, cortou o queixo duas vezes no mesmo lugar na mesma semana, caiu da bicicleta milhares de vezes, se afogou com espinha de peixe, queimou a mãozinha na porta do fogão, se lançou escada abaixo quando aprendia a andar no disco (pro-i-bi-do aqui em casa e altamente desaconselhável pelas médicas) e mastigou bolinhas de árvore de natal, daquelas de vidro. Ele sobreviveu. Mas que não sirva de exemplo pro Joãozinho, né? rerere.

Quanto à culpa, passa! Com quem mais ele sofreria um acidente senão eu, que estou com ele 24 horas por dia? Mas não vou esquecer o que houve. O que vale é redobrar a atenção. O perigo está por todo lado, como na porta do shopping, onde um menino ontem deu um panfleto pro Joãozinho brincar, no carrinho. Quando vi, já tinha um pedação de papel na boca. O mundo dos homens é cheinho de armadilhas!

E você? Já viveu uma situação assim? Me conta, vai, pra eu ficar me achando uma mãe normal, rere. Agora vou continuar pagando as promessas que fiz. Ontem fui à missa logo cedo agradecer por Joãozinho estar bem! A reza continua... :-)

Beijinhos e até o próximo post, ainda nesta semana, afinal amanhã este menino completa seis meses!!!

P.S.: Desculpa aí pelo layout (ausência dele) do blog. Estamos em obras por aqui e logo logo teremos uma arte personalizada beeeem legal pra este espaço. Beijinhos


Atrás das grades!

45 comentários:

  1. OI MANU
    me desculpe o comentario, (nem q vc nao publiq) mas vc é muito DRAMATICA, cruiz credo.
    a rebeca tbm caiu da cama, há um mês atras, foi igualzinho o joão, peladinha e de cara na ceramica, na hora xorei junto e rezei a Deus q a protegesse, duas horas depois por peso na conciencia levei ela no pronto socorro e o pediatra examinou e falou a mesma coisa q a sua medica, hahaha esse foi só o primeiro de muitos tombos.
    é a gente tem q ser meio q um polvo pra cuidar deles, tem q ter mil mãos, mil olhos e aff é de cansar, mas é assim mesmo! ah, viu, pra quem foi comprar um chiquerinho (q por sinal é bem caro e usa muito poko, bom se vc pudesse empresta de alguem)o q vc tem contra o "disco"???? ara largue mao de seguir a risca o q os medicos, sites e blogs falam, nada have q é prejudicial, se fosse não fabricavam, concorda? Eu andei, meu marido andou e agora Rebecuxa dá voltas e voltas pela casa no tar do disco, feliz da vida, e com seus poucos 8 meses já tá quase andando sozinha. pode um troço desse? Fique susse mulher! no fim dá tudo certo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk... você tem razão. Sou dramática messsmo. É que a primeira vez que isso acontece, a gente se assusta! E o barulho foi tão horrível, ele gritava tanto, tadinho. Me assustei valendo. Mas vou tentar relaxar sim.

      Agora, o disco aqui não entra não! Basta dar uma olhada nos números de acidentes provocados por andadores. São muitos e bem graves. Além do que não ajudam no desenvolvimento. Pelo contrário, fazem pular a fase do engatinhar, que é super importante.

      E aqui nem temos espaço pra isso. Ele ficaria batendo nas coisas sem sair do lugar, nossa casa é um ovinho. Quanto ao chiqueirinho, gosto e pretendo comprar sim. Não compramos ontem pq na Tony Toys só tinha os da exposição e tavam bem sujinhos. Depois, uso com o próximo bebê que tiver e ainda empresto pro sobrinho que está pra nascer. Ele desmonta e dá pra guardar por bastante tempo. Vai ter utilidade. Pra meu filho é investimento. ririri.

      Sobre andadores ainda... Cigarro só faz mal e as indústrias fabricam... Andadores são objetos de consumo, produtos, como toooodos os demais. Mas foi proibido no Canadá, já.

      olha um trechinho de um artigo bem interessante no baby center: "o andador é o equipamento infantil que mais provoca acidentes e lesões, em especial devido à velocidade que os bebês podem atingir".

      Sou da opinião que o mundo evolui. Se na nossa época andamos de disco, não quer dizer que seja bom. A gente andava sem cinto no carro, soltinho, e não era proibido. A gente comia mel e nossas avós tomaram talidomida, que você sabe... causou doença em milhares de bebês. Prefiro viver na realidade do meu tempo. Mas cada mãe com sua experiência! Respeito muito.

      e cê tá certa em não ser exagerada e nem seguir tudo a risca. Mãe de primeira viagem aprende com os erros, na prática... né?...

      Um beijinho e volte sempre! Beijo na Rebeca!

      Excluir
    2. isso mesmo Manu, vc esta certa! eu é que sei, pois meus irmãos são dois traquinas! bjos Gesi.

      Excluir
    3. Super Curti sua resposta Manu...ainda bem que as coisas evoluem para o bem de todos...e ainda bem que existe o Google, blogs e principalmente os médicos para nos orientar.
      E imagino seu desespero...uma vez eu cuidava de um menino de uns 6 meses e deixei ele cair do sofá com a testa no chão...nossa me senti a pior das mulheres...cada vez que olhava o hematoma na testa dele, doía em mim, me perguntava pq não tinha sido comigo em vez de com ele...mas depois passou...mas na hora foi terrível...e apesar de ser normal os tombos acho que cada tombo deve ser horrível o sentimento de culpa é terrível...


      Bjos Kati...

      Excluir
    4. Mas meninas... a Adri tem razão sobre eu ser dramalhona! kkkk. E olha, apesar da minha resposta ali, quero deixar claro que respeito muito o que cada mãe decide pra seu filho. Só contrargumentei. Mas acredito que não existe jeito certo ou errado. Há orientações e tal, mas no dia-a-dia, é a mãe quem vê o que funciona e o que não funciona. Cada criança é uma criança e tem sua própria personalidade, seu jeitinho e suas características. A relação dela com a mãe é única né? Ah e a Rebeca é uma linda fofa sorridente e tem uma mãe super dedicada. :-)Beijooooos

      Excluir
    5. AFF ca mulherada, Eita Manu, mas assim q é bom, todas defendendo suas opinioes e compartilhando suas experiencias, acredito q para isso q serv o blog, herehere. Bem eu vou continuar liberando o disco pra Rebeca e daqui uns 10 anos +- a gente comenta sobre isso ta bom? hehehe, sobre o chiquerinho vc já leu alguma coisa q diz q não é recomendado pq dizem q a criança se sente numa prisão? pkbá ne? a Rebeca só usou 2 meses.... passa muto rapido, daí ela ja começou a engatinhar e já elvis ficar ali trancadinha.... obrigado pelos comentarios aqui e nas fotinhas do face tbm.... se vc soubesse tenho tantas outras coisas pra comentar com vc, axo q vc adoraria saber, tem muito haver com os outros temas q vc ja escreveu.... Ah e tem um bem curioso, mas teria q te falar em off....E é isso aih: não existe um manual de instruçoes para criarmos nossos pimpolhos, cada um é de um jeito....Mas no fim tenho certeza absoluta q todas teremos um final feliz e olharemos para traz com aquela certeza d q tudo mas tudo mesmo valeu a pena! Bjssss e um especial no Joãozinho!

      Excluir
    6. Adri... será uma satisfação ouvir tuas experiências. Te mandei mensagem lá no face tá? Obrigada por empenhar seu tempo em compartilhar com a gente! Um beijooooooo. E uma bitoca nesta fofura da Rebeca!

      Excluir
  2. Eita, parece que foi a semana da criançada cair...hehehe..
    O meu Pedro Lucas caiu na quinta passada e ficou com um galo enorme e roxo.. acabei de escrever um post lá no meu blog, e acabei de ler o post da Tati, mãe do Murilo dizendo que ele caiu também..
    O Pedro Lucas caiu com a minha irmã que cuida dele pra eu trabalhar.. é claro na hora me preocupei, mas vi que não foi nada grave e desencanei, afinal criança cai mesmo.. ele tava andando segurando a mão dela e escapou e foi de cara no chão...
    Eu até falo que ele vai cair muito ainda... porque ele já é bem levadinho...hehehe..
    Mas nós mamães temos mesmo que ficar super atentas e evitar o máximo essas situações de risco.
    Bjs!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai Ester... A gente precisa se acostumar né? Mas não a ponto de relaxar. É isso aí... Beijoca.

      Excluir
  3. Ai Manu, que aperreio. Alice também caiu da cama com 5 meses e a minhavreação não foi diferente da sua. Mas temos mesmo é que ser forte para 'acudir'. Quem mais pode fazer isso? E realmente aprender com as lições. Passou, está tudo bem graças à Deus e realmente outras virão. Para o nosso desespero. Outro dia Alice caiu no berçário. Fui pega-la e baoca estava inchada da queda. Morri. Tive vontade de não leva-la mais, pensei mil coisas... mas depois a vi toda falante, rindo e brincando e até desencanei um pouco. Já pensou se eu surtar toda vez que algo acontecer? Claro que cada caso é um caso e devemos prevenir ao máximo. Mas tudo isso faz parte dessa jornada né. Dificil mas faz parte. Beijos e muita saúde pro Joaozinho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah siiim sim! E pra tudo tem gelol na vida né? Mas a primeira vez a gente se assusta mesmo! rerere. Obrigada pelo comentário querida. Um beijo pra vc e pra Alice.

      Excluir
  4. Manu, acho que isso já aconteceu com muita gente, comigo também aconteceu entrei em desespero e fiz o mesmo que você. Não tem sentimento pior do que a culpa por uma coisa que poderia tornar algo tão grave!!!
    #amigacomenta
    Adorei as dicas, serve de lição para a vida toda.
    Beijos Ca

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E depois a gente até dá risada né? Mas na hora é druris! Beijo Camila!!! Obrigada pela visita!

      Excluir
  5. Acidentes são a primeira causa de morte e importante causa de seqüelas entre crianças bem cuidadas, amamentadas e corretamente vacinadas.

    ResponderExcluir
  6. Oi comadre!! Minha Duda, não usou voador pq os médicos há 12 anos atrás já diziam que prejudicava no desenvolvimento e as crianças poderiam ficar com as perninhas abertas. Eu acho, acho não, tenho certeza que os sustos são iguais mesmo se tivermos 1, 2, 3 ou mais filhos. Mãe é assim mesmo... exagera no amor, na dor e no sentimento de culpa, mas fomos feitas assim, puro sentimento. Te entendo muito bem, vc sabe o que passei com minha filha quando ela tinha apenas 15 dias de vida e nunca vou esquecer aquela horrível sensação. Para os nossos filhos tudo vale a pena. bjs amo vcs!! Dani

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É eu lembrei da tua história na mesma hora, da correria para o hospital. Graças a Deus Dudinha tá firme, forte e lindona aí pra encher nossas vidas de alegria. Obrigada pelo companheirismo de sempre! Um beijooooo

      Excluir
  7. Que susto! Tem que ser dramática mesmo! Eu também sou! É bom para colocar pra fora todo nosso sofrimento. O meu caiu maiorzinho (3 anos) da cama (dormia com a avó! rs) e fraturou a clavícula. Chorei tanto. Mas tudo passa. Vamos ficar sempre mais atentas para protegê-los.
    Beijos!

    Jamile
    Mãe para Mães
    www.maeparamaes.com
    #amigacomenta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa... fraturou é? Que dó! Viu só como a gente tem que ficar de olho? Um beijo querida! Apareça

      Excluir
  8. Olá! parece que realmente era a semana dos tombos! O Paulinho 1 ano e 8 meses tbém se jogou pela primeira do berço, nossa decisão? trocarmos urgente o berço por uma cama! hehehe bjo meninas!Celina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah Celina... Nosso medo só não é maior que nossa coragem e que a resistência destes pequenos né? beijoca e volte sempre

      Excluir
  9. Ai Manu, imagino o susto que vc deve ter levado! Eu fiquei me sentindo culpada com a cotovelada que dei na cabeça do Pedro aos 3 meses quando ele dormia ao meu lado na cama, imagine se eu tivesse passado por isso... aff! O berço dele é no modelo camping http://migre.me/aXrFk e bem interessante pq vem com o mosquiteiro e trocador e foi importante este teu alerta pois ja deixei muitas vezes ele sem o prendedor da cintura no trocador,achando que em 5 segundos não aconteceria nada. Vou começar a prendê-lo sempre de agora em diante, mesmo o trocador sendo aparentemente seguro com as bordas mais altas mas... melhor nao abusar! Só acho,Manu,que a culpa foi do FUNK!!!! Da próxima vez cante outro estilo pra ele, que td acabará bem! kkkkkkkkkk Beijosssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. auhauhauau Juuuu, vc tá certa! Esse vuco-vuco apagou minha sanidade mental por alguns instantes! Amei o bercinho do Pedro. É lindo e super prático. Amei estar aí com vocês! Obrigada pela parceria de sempre. Um beijão.

      Excluir
  10. Ai flor, entendo perfeitamente. Nós nos culpamos mesmo, até quando não temos culpa. Falar para você não se cobrar tantp seria piegas e razo. Então, fica meu abraço de que você com certeza é a melhor mãe para seu baby e ele sabe disso.

    bjs,
    #amigacomenta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dê... Só me culpo pq é importante lembrar da nossa responsabilidade sobre esses pequenos e do quanto temos de tomar cuidado, mas não me martirizo não. Já passou! Um beijoooo

      Excluir
  11. Eita mamãe heim eu fui a unica a perceber que depois de ele cair você levou ele no médico fora da cadeirinha???Amiga eu sei como é quando estamos assunstadas mais então deveria ter chamado ambulância ou então acalmado ele em casa mais sem cadeirinha não dá,sabe eu ando de ônibus porque não temos carro mias assim tenho muito medo pois os acidentes são frequentes e na maioria das vezes a culpa nem é nossa é de um cara nervoso no trânsito ou de um bebadô,olha sempre coloque na cadeirinha mesmo depois disto pois quando menos se espera acontecem os acidentes e depois de um erro feito nada mias cabe a nós fazermos,não querendo te assustar ou ate brigar pois numa situação dessas eu que sou mãe de primeira viajem tambem nã sei o que faria ao certo ja que nessas horas nossos corações é que mandam mais penso que teria que ficar calma para poder fazer o meu melhor,aqui onde moro aconteceu algo parecido uma mulher vinha de outra cidade para cá(joinville) pois seu filho precisava de atendimento especializado e ela estava com cinto e outras duas meninas que estavam no carro não,pois é um cara bebado bateu no carro dela e todas morreram,a motorista tambem pois o cinto estavam mal regulado e não impediu o impacto mais e o menino??ele saiu só com escoriações pois quebraram os vidros na hora que houve o capotamento mais ficou bem uma tragédia que aconteceu mias ao mesmo tempo um milagre lindo né?bjss (visita meu blog ;* http://larissanicole123.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E eu tava esperando alguém me puxar a orelha! Você prestou atenção! Uhuuuul! Batgirl querida... obrigada pela atenção toda aqui viu? Você tá super super certa. Eu nunca ando com ele fora da cadeirinha e neste dia, dado o desespero, fiz esta burrada. Mais uma. Graças a Deus não aconteceu nada pior, mas prometo não repetir a bobeira. Também perdi um priminho de cinco anos num acidente de carro. Era o único que não estava amarrado e voou pela janela. Foi muito triste. Perdi meu marido anterior, num acidente de carro, sem cinto... Não preciso dizer mais nada né? Só preciso agir corretamente e é isso que vou fazer. Um beijo querida!!! Volte sempre.

      Excluir
  12. Manu! sou enfermeira, com 10 anos de profissão e quando meu filho caiu eu chamei o 911 (emergencia). Mãe é tudo igual! bjsss e fique bem ok!
    Ps. Ele está em fase de descobertas, não é legal prende-lo em berços(chiqueirinhos) assim vc prejudica algumas fases do desenvolvimento. O ideal seria transformar sua casa em um ambiente mais seguro para ele.
    Tamy #amigacomenta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, obrigada pelo alerta. Sabe que repensei a coisa do chiqueirinho. A Adriana (logo acima) já tinha me falado sobre isso. O bom do blog é justamente isso, poder trocar experiência. Agora estamos pensando em comprar aqueles tapetes emborrachados, tipo quebra-cabeça sabe? Quem sabe pode ajudá-lo a engatinhar mais tarde? Vou pensar. um beijo Tamy! Obrigada.

      Excluir
  13. Nossa, o meu está com 4 meses e meio e começando a querer descobrir o mundo. Seu relato serviu pra me deixar mais esperta. Força ae! Bj Flávia# amigacomenta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É amiga... eles aprendem a se virar da noite pro dia e quando a gente vê, lá estão pendurados nas grades do berço. Precisamos ser atentas. Beijoca

      Excluir
  14. Nossa, o meu está com 4 meses e meio e começando a querer descobrir o mundo. Seu relato serviu pra me deixar mais esperta. Força ae! Bj Flávia# amigacomenta

    ResponderExcluir
  15. Manu.
    Joaquim caiu e ficou com o rostinho sangrando. Marido brigou, eu chorei sem parar. Bate a sensação terrível de que não temos 100% de controle. Claro que tomamos medidas de segurança, mas eu garanto que vc vai descobrir coisas que nunca pensou qdo ele começar a engatinhar. Força!!!
    Bjs
    Fabi
    Mulher e Mãe
    #amigacomenta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah certeza Fabi! A todo momento alguma coisa ameaça a integridade física dele, rerere. Nossa casa não é feita para seres que querem descobrir o mundo pela boca e sem equilíbrio ainda né? Atenção redobrada é o que nos resta. Gelol e Omo também :-)

      Beijoca

      Excluir
  16. Oi manu...que bom que não foi nada grave,eu tbm passei por susto grande,a minha filha caiu do trocador,tbm foi assim de bobeira,eu estava do lado trocando a fralda dela,havia um pequeno espaço entre eu eo trocador(acho até que é normal,ela nunca tinha se virado,bem achou de treinar isso ali naquele momento,me pegou de surpresa,ainda consegui diminuir o impacto da queda com o meu corpo,me joguei no chão com tudo,nem sei como fiz aquilo,ela chorou muito,acho que mais pelo susto,não hove arranhões,só muita dor no meu corpo e no meu coração,me senti pessima por vários dias e quando lembra me batia uma tristeza enorme por dentro,nunca mais usei o trocador,passei a utilizar a cama,colocava ela bem no meio só p/ me garantir...rsrsrs.É normal que a gente se sinta culpada,quando a minha filha caiu uma pessoa que é muito proxima falou p/ mim:não te preocupa ninguém vai pensar que vc deixou ela cair de propósito,o pior é que essa pessoa sempre pensa o pior e espera o pior de mim,ela as vezes me dava a impressão de estar esperando que algo acontecesse p/ me apontar,e eu durante muito tempo tive medo que algo acontecesse,pois tinha medo do julgamento dessa pessoa e dos outros,foi preciso eu passar por isso p/ desligar,o pediatra da minha filha disse:crianças caem,se machucam,vc não é menas mãe por isso.
    Quanto ao chiqueirinho,eu comprei o meu em um brechó infantil,era da Burigotto,lembro que paguei 100,00 por ele,usei muito em casa como berço,pois o berço só foi comprado quando minha filha tinha 5 meses,depois levamos p/ o sítio p/ usar como berço e p/ que ela brincasse quando eu estava ocupada,eu recomendo,vale a pena...andador eu não tive,desde o início eu e o ma decimos que não comprariámos.
    bjs
    #amigacomenta

    ResponderExcluir
  17. Ainnn, conheço bem a sensação!!
    A gente se sente culpada, incompetente, idiota e tudo de pior deste mundo!!
    Mas. vc está certa! O mundo está preparado para os adultos e cabe a nós proteger os nossos pequenos!
    Agora já passou, está tudo bem, fica a lição, bola pra frente e não duvide que vc é a melhor mãe que o Joãozinho poderia ter!! ;)

    Bjo!

    Loreta #amigacomenta;)
    @bagagemdemae

    ResponderExcluir
  18. Já passei por isso duas vezes, com o do meio (no caso dele, escalou a cômoda que fica em anexo) há pouco tempo, com o Felipinho, mais novo (faz três anos hoje), que literalmente pulou mesmo, rs. O primeiro nem me preocupei, pois caiu em cima do edredon que estava na cômoda e foi junto, só liguei para a pediatra. O segundo, também ficou tudo bem. Foram dois de muitos sustos, rs.
    Beijos!
    #amigacomenta

    ResponderExcluir
  19. Manu, li seu post essa madrugada, procurando por uma opinião sobre o assunto, pois meu filho caiu do berço igualzinho o seu, no meu caso pq bati a perna na grade que eu pensava estar travada e meu bb estava nela veio abaixo. Um horror, to até agora mal, mas ele está bem, segurei um pouco sem dormir para observa-lo e ele foi acalmando até que dormiu. Não levei ao pronto socorro pq nem galo fez, só ficaram dois risquinhos na teste e um no nariz por ter batido no taco...ai, meu coração está apertado e estou me sentindo péssima. Pra ajudar meu marido me deu maior bronca e me culpou tb, aí vc imagina. Bom, amei seu blog e a maneira que escreve. Obrigada por contar suas experiências. Temos bbs quase da mesma idade o meu é de 22/04/2012.

    ResponderExcluir
  20. Oi, Manu, acabei de ler o seu post, pois meu bebe de 9 meses caiu da cama hoje, entao procurei na internet opnioes, nao levei ele no pronto de socooro, pois ele está bem, na hora chorou um pouquinho, mas passado alguns minutos, se acalmou começou a brincar e graças a deus esta bem.. Segui uma orientação da minha avó que sempre passava vinagre na minha cabeça quando caia por conta do galo, fiz a mesma coisa e o galoo sumiu.. emfim adorei seu blog... bjs

    ResponderExcluir
  21. Adorei seu blog! Encontrei pesquisando sobre quedas... a última do meu pequeno de 1 ano e 4 meses foi no domingo, ele escapou da mão do avô que estava passeando com ele... chorou um pouco e deu um roxinho na testa... mas já fiquei toda preocupada, observando os sinais que a pediatra me falou para observar em caso de queda, batidas. Não foi nada demais, mas dá um aperto no peito, uma sensação de impotência muito grande.

    Se quiseres conhecer o meu Blog, entrei recentemente para esse mundo maravilhoso de trocas de experiências, chama-se feedbackmaterno.blogspot.com.br. Um beijo!

    ResponderExcluir
  22. Manu, nem sei se vai responder ao meu comentário, mas passei por situação semelhante semana passada... vou te contar a minha vida inteira passou pela cabeça mas graças a Deus minha princesa não teve nada... só queria te perguntar quanto tempo demorou para vc esquecer ou parar de pensar no barulho do seu baby batendo a cabeça no chão... pois eu fico só ouvindo e pensando no que poderia ter acontecido....

    ResponderExcluir
  23. Oi Manu ,vi seu post aqui pesquisando bebes que cairam pra ver se me sentiria melhor . Vou te contar i que houve comigo ...comi vc disse logo no inicio do post ,por um minuto que o cerebro para ,da um brando e agente nai enxerga o perigo eu fui levar meu filho mais velho p escola e coloquei meu baby de 2 meses na cadeirinha sem cinto e sem prendela ,totalbirresponsabilidade,burrice ,descuido,e imprudencia ...na descida a cadeira capotou p frente e meu baby bateu com a cabecinha bem no assoalho do carro ,entrei em panico (estou ate agora)e bati o carro ,quase jogo todo mundo numa ribanceira ,ai ce ja pensa no que haveria acontecido ...fui desesperada p hospital ,mais foi so um susto pra honrra e Gloria de Deus .Mais to me sentindo um lixo ,pior pessoa desse mundo ,como pude fazer isso ,como pude colocar a vida dos meus filhos em ridco ,como? Eu que tento panto protegelos ...a cena nao sai da minha cabeça ,to desesperada ,triste ,angustiada ...nao sei mais i que fazer p esquecer isto . Bjus

    ResponderExcluir
  24. Oi Lu... já tinha te respondido no e-mail, rsrs, mas quero registrar aqui que agora que tudo isso passou, desculpe-se, perdoe-se, se liberte da culpa e siga a vida aproveitando cada dia mais da bênção que é ter tudo acabado bem. Às vezes a vida nos dá uns sustos pra gente tirar algumas lições. Mas a culpa, deixa pra trás. Depois dessa postagem aqui, tive outro bebê e ele já caiu do berço também. E da cama... e corri pro hospital no mesmo desespero. Mas tenho tido cada vez mais cuidado. Um beijo no seu coração. Fica em paz, menina.

    ResponderExcluir
  25. Minha filha caiu sexa-feira da minha cama de uma altura de 70 cm. me culpei mui to, mas depois de tomografia no mesmo dia, graças a Deus não deu nada. Estou achando ela com a moleira um pouco funda, embora todos pensem que e impressão minha... Sera q devo leva-la ao medico?

    ResponderExcluir
  26. manu, minha bebe que tem cinco meses caiu sexta da minha cama, cuja altra e de 70 cm. Fomos ao hospital e depois de uma tomografia, esta td bem. Pode ser impressão minha, mas estou achando ela com a moleira funda, embora ninguem perceba. Sera q devo leva-la ao medico?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Karla... Imagino o susto! Se você tá achando que tem alguma coisinha, leva sim. Não custa. O médico vai te tranquilizar. Eu levaria. Melhor ser exagerada pra essas coisas né?

      Excluir

Comenta aí que a mamãe fica faceira! E volte sempre, a casa é sua! :-) Ou me mande um e-mail: emanoellew@gmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...