Páginas

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Piscina, andador, fígado na papinha, bisfenol, a primeira München e o Natal

Dia de festa e muita água

O mesversário do meu pequeno, dia 2, marcou um momento importante pra nossa família. Fomos juntos à piscina pela primeira vez e Joãozinho mostrou que é um peixinho agitado. A madrinha Dani também foi e desta vez temos fotos! Eba!

Ele nadou de frente, relaxou de costas, ainda meio inseguro, e bateu as mãozinhas e perninhas sem parar. Se esticava todo e ria de montão. Foi assim que comemoramos o oitavo mês do Joãozinho, essa coisa gostoooosa que mora aqui em casa. E este post é da série "A Semana do Bebê", pra contar das sapequices do meu menino nos últimos dias. Vamos lá?

Quem disse que com bebê não dá pra ir à München?
Chopp que ensurdece

Conciliar o soninho depois da janta e do banho, que era uma coisa relativamente simples nesta casa, tornou-se uma saga na última semana devido ao barulhão da München Feest, a tradicional festa do chopp escuro de Ponta Grossa. A rua que a gente mora é rota para o Centro de Eventos e durante uma semana todinha ficou super movimentada.

O mundo dos solteiros, especialmente dos que bebem, tem um volume bem mais alto que o dos casados com filhos. Cheguei à conclusão de que chopp deixa a pessoa surda, porque era tanto grito, som alto e motor roncando na frente de casa que Joãozinho não dormia. Moto-táxi então faz mais barulho que trem. Foi dose e graças a Deus acabou. Só não comenta com ninguém que esta mãe ranzinza, há questão de dois anos, era da turma dos surdos que toma chopp e curte cada show, auhauahua.

No bailão com as vovós!

Primeira München do João

E para não perder totalmente o costume de ir à München, coisa que faço desde os 16 anos, tive a audácia de ir com o Joãozinho, oras, uahauhau. Mas foi bem light, não se assuste. Fomos acompanhar minha sogra e minha mãe à atração voltada para a turma da melhor idade na tarde de terça-feira. Uma graça. Nos divertimos bastante dançando as músicas da banda alemã entre o povo animado que já passou dos 50. As vovós aproveitaram para corujar bastante.

Agora chega de trabalho, né papai?

TCC

Enquanto formava fila de gente alcoolizada e bem animada em frente de casa, aqui dentro o assunto era sucessão trabalhista em serviço notarial e registral. Eu nem entendia bem o que isso queria dizer, mas depois de uma semana todinha revisando e ajudando o João pai a concluir seu Trabalho de Conclusão de Curso da faculdade, fiquei capacitada para defender o tema em banca. auhauha.

Foi aquele estresse típico de quando o desavisado do estudante deixa tudo pra última hora, sabem? Mas está lá protocolado, finalmente, e comemorado com churrasco na área de casa "pra ver o movimento da München" kkkkk.

Na sala de espera da pediatra

Tiyoco

A consulta do oitavo mês do João foi na sexta e ele está super bem. Engordou 775 gramas e cresceu dois centímetros. Está com praticamente 9,5 kg!!! Aproveitei para tirar dúvidas com a doutora Tiyoco. Seguem abaixo:


Bisfenol-A: plástico na alimentação infantil

- Pode esquentar a papinha no micro-ondas?
Pode sim, não há qualquer comprovação de que as ondas alterem as características dos alimentos ou façam mal à saúde. Mas aqui cabe um alerta importante: é melhor optar por potinhos de vidro para armazenar. O plástico solta uma substância chamada Bisfenol-A, que está ligada à puberdade precoce e até a doenças cardíacas, diabetes e queda de fertilidade. Inclusive este químico já é proibido na fabricação de embalagens de produtos infantis, mamadeiras por exemplo, em alguns países, como o Canadá. Veja o artigo sobre o assunto publicado pela Revista Crescer.

É bom saber, né mãe?

Usar fígado na papinha faz mal? E tomate? 

Como nos posts sobre papinhas recebi vários comentários de amigas dizendo que fígado e tomate fazem mal ao bebê, resolvi perguntar para a pediatra. E ela concorda. A menos que você consiga comprar galinha capira e carne de gado "orgânica" (que não passou por processo de engorda para abate), é melhor não usar fígado na alimentação do bebê.

"O fígado é o filtro onde ficam depositados todos os antibióticos, hormônios e outras substâncias usadas no processo de engorda dos animais criados para abate", explicou a doutora. Por isso, corri lá nos posts das papinhas e excluí ou adaptei as receitas que continham fígado, ok?

Com relação ao tomate, bem como o morango, podem ser usados sim, mas é bom comprar os que não usaram agroquímicos, pois são produtos bastante sensíveis à contaminação. Mais uma vez destaca-se a importância dos orgânicos.

Menino rastejante
Disco, andador, voador... A polêmica

Foi a maior polêmica quando disse aqui que não colocaria Joãozinho no andador e depois fiquei refletindo se realmente minha postura é radical demais. Tenho medo de acidente e, conforme a pediatra do meu filho, os discos são realmente brinquedos muito perigosos e por isso exigem bastante atenção dos pais. Ela diz ter atendido casos de fratura de crânio, dentinho quebrado e pontinhos na testa por conta do disco, portanto Tiyoco concorda comigo que é melhor deixar ele rolar, rastejar, engatinhar, ficar em pé e depois andar, tudo quando for da vontade dele.

Além disso, ela defende que engatinhar é importante para ele ter a dimensão de espaço à sua volta, para aprender a desbravar o ambiente e para fortalecer os músculos do pescoço, braços e pernas. "Pra que pular etapas?", questionou ela. No nosso caso, mais um fator colabora para que eu não dê um voador ao meu filho: temos pouco espaço vazio em casa. Ele ficaria batendo nas cadeiras, tropeçando em tapete e se confrontando com as paredes o tempo todo, feito uma baratinha tonta. Então... tá consolidada minha decisão. Não teremos o equipamento ainda.

Mas isso não quer dizer que em alguma ocasião eu não vá colocar ele um pouquinho no brinquedo pra ver sua reação. Nem quer dizer que sou absolutamente contra. Se tem uma coisa que estou aprendendo aqui é a respeitar a opinião, as decisões, a intuição e o jeitinho de cada mãe. Em cada família, o que é bom e ruim, certo e errado é relativo né? Então... se puder dar um conselho, vou dizer: "vai por você, pelo que acha melhor pro seu filho". E, claro, "fique atenta, acompanhe o/a pequeno/a na brincadeira, respeitando os limites de sua resistência para a atividade". Talvez eu mesma possa usar para ajudá-lo a aprender a andar, caso demore muito.

Em relação ao chiqueirinho, cheguei a querer um quando Joãozinho caiu do berço, aos seis meses, lembram? Mas segui os conselhos da Adriana, que postou um comentário bem interessante lembrando que além de caro, usa-se por pouquíssimo tempo e restringe a área de brincadeira do bebê. Usamos o colchãozinho no chão e funcionou bem.

Dermatologista intrometido

Aos 19 anos fui diagnosticada com psoríase por conta de uma descamação no couro cabeludo. Quase morri de chorar vendo fotos na internet, achando que eu viraria em ferida pelo corpo todo e até hoje me pergunto onde foi que aquela danada da biópsia errou? Graças a Deus errou! Porque ainda coço minha cabeça o tempo todo e o couro cabeludo descama, mas nunca passou disso. Quem me conhece sabe que não é piolho e nem caspa, kkkk.

Aí que desde que engravidei parei com o remedinho e agora que está incomodando mais. Resolvi na semana passada voltar ao dermatologista, outro dermatologista. O engraçadão não soube dizer o que de fato tenho, mas quis me convencer a parar de amamentar pra usar um gel que diminuiria a coceira.
- Até quando você pretende amamentar? Perguntou.
- Até no máximo dois anos, como recomendam os pediatras. Respondi.
- Ah isso é uma bobagem muito grande. O bebê só precisa mamar até os seis meses. Depois o leite vira água e só serve pra criança ficar grudada, agarrada à mãe, insegura pra vida.

Olha gente, ainda bem que fui uma pessoa muito da educada e desviei o assunto, mas a minha vontade era de perguntar em que momento eu perco pra vaca, já que meu leite vira água e o da vaca se torna ideal? Defendo todas as mães que precisam parar de amamentar ou que não desejam amamentar, mas não me venha sugerir uma decisão dessas com base em tamanha idiotice.

Por pouco não perdi a paciência de vez quando ele perguntou se o parto do João foi de cesária ou normal. Primeiro: que que tem a ver o parto com minha coceira? Segundo: o entendido ainda disse que parto normal é coisa de bicho, que mulher tem mais é que agendar a data e tirar o filho com conforto, sem dor. Ele teve a capacidade de dizer que "tem um monte de 'gente deficiente' por aí porque não era comum cesária e crianças nasciam de parto normal, forçando tudo". É triste ver esse tipo de preconceito e ignorância entre os próprios profissionais da saúde.

Pra deixar claro: sou a favor do parto que a mãe escolher, aquele que é melhor pra ela. Mas sou totalmente contra partos cesarianos induzidos por obstetras que só pensam em dinheiro e comodidade, que não querem enfrentar o trabalho todo com a mãe.

Não comprei gel algum, voltei pra casa indignada e vou mudar de assunto porque esse aí me estressa e piora a coceira, só de lembrar. auhauahu.


Então é Natal

Quando criança, lá no sítio, meu pai cortava um pinheiro de verdade, a araucária, dessas que hoje estão em extinção e levam o sujeito que derrubar uma à prisão sem direito à fiança, e botava na sala, num pote com terra que a gente regava até o quinto dia de janeiro. Eram outros tempos, minhas amigas! kkkk. A gente enfeitava com algodão, pendurava bolas de vidro frus-frus prateados e doces. Ficava totalmente diferente das árvores que vemos hoje, mas lindo assim mesmo, com aquela simplicidade toda.

Mais tarde tivemos de aposentar as bolas de vidro porque meu irmão caçula, o Robson, inventou de mastigar uma delas, auhauahua. Foi um perereco só! Sangue saindo pela boca, minha mãe tentando tirar os caquinhos lá de dentro... deve ser por isso que não fabricam mais aquilo.

Aí, no dia de Natal, o vizinho se fantasiava com a roupa de Papai Noel que minha mãe costurou, improvisava uma barba com lã de carneiro, botava um raibanzão no rosto pra gente não reconhecer e ia lá em casa participar da festa. Normalmente era de dia, porque ainda não havia energia elétrica em Serra do Apon.

As crianças todas da vizinhança e priminhos se reuniam lá em casa e depois da novena era a maior festa. O bom velhinho distribuía balas e outras guloseimas. Brinquedo não tinha pra todo mundo. Mas a bagunça era geral.

A agarrada ao bom velhinho sou eu
Tenho tão boas recordações dessa época! Por isso resolvi que a partir de agora não haverá de faltar decoração natalina nesta casa. Joãozinho merece vivenciar essa coisa gostosa que faz parte da nossa tradição.

Nossa casa tá cheinha de penduricalhos, toalhinhas e até uma árvore (de plástico, esta) com enfeites que foram do João pai quando criança. A expectativa agora é por mostrar um papai noel pro pequeno. Nem que seja desses de shopping, sem barba de lã de carneiro e com roupa de profissional. rerere.

Ígor e Denise

Caiu do céu

E já que estamos em clima de Natal, quero registrar aqui um acontecimento daqueles que mudam o dia da gente. Tive uma DR com o João um sábado desses e resolvi sair de casa para pensar na vida e fui parar num parquinho de criança. Fiquei lá sentada um tempo, dando a papinha pro João e remoendo "meus problemas" até que uma moça simpática se aproximou com um menino fofo, de três anos. Ela puxou conversa e eu abri o coração. Contei o que se passava e aos poucos ela foi falando sobre sua vida. Toda despojada, cheia de "bola pra frente", me relatou dificuldades que eu nunca tive, sofrimento que não faz parte da minha rotina e me fez ver o quanto eu estava sendo boba ao me deixar levar por uma dor tão pequena.

Agradeço do fundo do coração por você ter aparecido naquela tarde, Denise. Teu sobrinho é lindo e vocês merecem toda felicidade do mundo. :-)

Depois fui à missa e voltei com um picolé pro João "tirar o azedume da cara". Funcionou.

Dica do dia

Para encerrar, uma dica da mamãe Angelita Kobay Prestes: sapatinhos personalizados com o nome do bebê. Achei muito fofo. Aqui ó: Sameka.
Dá pra bordar o nome do seu bebê


E você já enfeitou a casa para o Natal? Foi à München? Usou andador? Comente à vontade! Beijinhos e boa semana.

E que tal os dois dentinhos?



Achooou!



Relaaaaax com o papai

Só alegria

Foi uma delícia

Sucesso na piscina das crianças 

Com a madrinha

Na chegada do Centro de Eventos para a München

7 comentários:

  1. Joãozinho tá liiiiiiindo hein! E o Guga tem um carrinho praticamente idêntico ao dele!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse carrinho é bem prático né? Leve e espaçoso. Eu gostei. Beijo flooor.

      Excluir
  2. Tudo muito lindo ,bem relatado e bem guardado para a posteridade bjs

    ResponderExcluir
  3. Manu, eu coloquei o Muri no andador e não tive problemas com acidente, compramos um que tinha freio e ele nunca caiu.
    #amigacomenta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. com freio é? Não sei como é... Mas legal. O Muri é lindo demaaaaaaaaaaaais! Beijo flor.

      Excluir
  4. olá estou te seguindo me segue também??
    sobre o carrinho qual e a marca dele?

    ResponderExcluir

Comenta aí que a mamãe fica faceira! E volte sempre, a casa é sua! :-) Ou me mande um e-mail: emanoellew@gmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...