Páginas

terça-feira, 29 de maio de 2012

Descobrindo as cores, os sons, os sentidos...


Eles já nascem com todos os sentidos prontinhos para experimentar o mundo, mas é com o tempo que descobrem as cores, os cheiros, os sons, os sabores e as próprias mãozinhas. Meu pequeno já está enxergando melhor e ouvindo com mais atenção e me dei conta disso quando vi seus olhinhos vidrados nos brinquedos coloridos que pendurei no bercinho.

Fiquei encantada. Ele não tem um móbile (até o pai dele ver o que eu fiz e sair correndo comprar um multifuncional, que toque música clássica, emita luzes e até mande e-mail, rerere), por isso improvisei um com brinquedinhos pendurados num cabide. Ele não piscava e se mexia sem parar mostrando muita alegria - isso depois de uma crise (daquelas) de choro. Resistiu o quanto pôde ao sono, não queria dormir para poder apreciar tamanha beleza! Gamou! rarara.

Ele amou o móbile que mamãe inventou

Se minha blusa é colorida ele mama olhando pra ela. Outro dia abria um sorrisão lindo pra flor laranja da decoração na casa da vovó. Ele adora cores vibrantes e pelo menos nisso é polaco como a mamãe, rerere. Quando me olha fixo nos olhos, chego a me emocionar. Parece que está dizendo pra mim que sou importante pra ele. Ooohhh.

João deu um pinguim que toca 20 minutos de música de ninar, tem sons da natureza e ainda emana feixes de luz coloridas no teto, com formas e desenhos. Lindo lindo. Ele ainda não percebeu muito bem a existência do brinquedo, mas sente a musiquinha e quando está bonzinho, fica um tempão quietinho só ouvindo. Reconhece a minha voz. Quando está no colo de alguém e eu me aproximo falando, ele vira o rostinho e volta o olhar pra mim.

Pinguim multifuncional

Só eu e o papai conseguimos acalmá-lo na base da cantoria. Diga-se de passagem, as crises de cólica estão cada vez piores (achei que melhorariam com dois meses, mas nada) e nosso repertório continua mudando. Papai agora faz a dança do índio e canta ritimado repetindo uma palavra que não sei de onde saiu (baita criatividade): "a-nhã-nhá-ca". Eu até tento copiar, mas talento pra índio só ele tem (lembra do indiozinho do Pão Panco? rerere). É um tal de anhanhaca-anhanhaca-anhanhaca que o guri até cansa e dorme. auhauhaua.

Além da dança da chuva aí, papai também foi buscar inspiração no cinema e desembestou num inglês inventado a torrar a paciência ninar o piazinho com clássicas trilhas sonoras como a do Ghost e do O Guarda-Costas. Tente imaginar o João cantando Whitney Houston! O importante é que Joãozinho já conhece nossas vozes.

O paladar por enquanto só sabe o que é a delícia de leitinho da mamãe e o adocicado dos remedinhos que é obrigado a tomar porque o leitinho delicioso faz a barriguinha doer. :-(

É no tato que temos nossa maior intimidade. As mãozinhas dele no meu colo enquanto está mamando, puxando meu cabelo para se sentir mais seguro no banho, seu rostinho colado ao meu para dormir, minha respiração no seu ouvidinho enquanto canto ou resmungo alguma coisa, sua barriguinha no meu peito para aliviar a cólica... Tudo isso nos confere um aconchego tão grande, uma intimidade que só mãe e filho conseguem ter e que se torna essencial para este meu novo dia a dia.

Que tal acordar assim?

Chego a ter saudade dele enquanto dorme por mais tempo, fico torcendo para acordar bonzinho, sorrindo pra mim, como faz pela madrugada e de manhã. A velha afirmativa de que ser mãe é ter o coração pulsando fora do peito faz todo o sentido. Eu já não sou mais uma, estou dividida em duas partes e a outra é um bebê lindo, doce, maravilhoso, que a cada dia está mais espertinho.


Soninho longe da mamãe
Um homenzinho que já dorme em seu próprio quarto

O meu cheiro ele conhece desde que nasceu. Sabe quando me aproximo e deve pensar: "Lá vem meu peitão". Por conta disso é que a pediatra orientou, como já contei aqui, a colocarmos nosso bebê para dormir no quartinho dele, longe da mamãe. E isso aconteceu!

Acreditem! Esta já é a terceira noite que meu pimpolho dorme sozinho lá no berção dele, no quarto dele! Nem eu tô acreditando ainda. Nem dormindo também. auhauah. Não foi fácil, mas foi preciso. E agora ele dorme por mais tempo porque não fica sendo atraído pelo cheirinho da mamis. Funciona.

Já eu... acordo a todo momento com qualquer ruído que ele faça e corro na porta do quartinho dele para ver se está tudo bem, se não tem coberta trancando a respiração, se não se afogou, se não está com frio. Tenho dormido bem pouco mesmo e quando durmo sonho com ele. 

João rola de rir quando levanto da cama ainda meio dormindo, com o travesseiro no colo dizendo para fazer silêncio porque o neném tá dormindo. rerere. Que maluca né? Também já mandei o João se afastar para não esmagar o bebê, como se ele tivesse dormindo entre a gente. Doidinha de pedra.

Apesar do meu sono conturbado, estou feliz que ele tenha ido já para o quartinho. Eu achava que seria muito mais difícil e que eu não conseguiria libertá-lo do meu olhar constante. É uma conquista para nós dois.

Vovô Alci rezou pra ele melhorar

Chora não, meu amor!

No domingo a noite Joãozinho abriu um berreiro sem precedentes. Chorou tanto, tão forte e por bastante tempo! Vô Alci e vó Sônia estavam aqui em casa e acompanharam com aflição a nossa luta para acalmá-lo. Choraram todos! Foi uma cena comovente mesmo. Ele no meu colo, eu balançando e cantando música de igreja para invocar a ajuda divina (naquelas alturas a gente já estava entrando em desespero) e os avós com as mãos estendidas rezando, cada um do seu jeito, enquanto o papai beijava sua cabecinha e chorava também. Aos poucos ele foi cansando e dormiu agarradinho a mim. Quando cheguei na sala, tava todo mundo com o olho vermelho.

Achamos que o lamento todo tinha sido porque naquele dia explodiu a bolha de pus que se formou no local da vacina BCG. Fez uma inflamação grande que deve ter judiado dele mesmo. Mas no fim das contas era cólica porque a mesma choradeira se repetiu ontem e hoje - hoje o dia todinho.

Eu fico exausta! Não só pela dor nas costas de tanto segurá-lo enquanto a cólica não passa, mas com canseira psicológica mesmo. É extremamente desgastante ver a pessoa que a gente mais ama no mundo chorar tão desesperadamente e não poder fazer muita coisa. Tem horas que eu sequer consigo cantar alguma coisa, de tanto desânimo que dá.

Tá aí a famosa, pra quem não conhecia

A gente já se conformou com as cólicas. Tentamos tudo sempre. Mesmo a Funchicórea que não é tão recomendada tem sido uma aliada para aliviar por alguns segundos que seja o tormento do choro. Mas o fato é que nada resolve em absoluto. Tudo é paliativo e a dor prevalece. Para quando tem de parar e pronto, não importa o que a gente faça. Fico injuriada de saber que a indústria farmacêutica já inventou remédio pra tanta doença rara e não tem um que efetivamente resolva as cólicas dos recém-nascidos. O que nos resta é dar colinho, carinho e mostrar para ele que estamos juntos nessa luta. O que me consola é que normalmente tudo isso acaba aos três meses. Falta só um!

Felicidade maior do mundo é ver você assim

Mas nem só de dorzinha vive meu príncipe e a alegria dele é maior que tudo. Ele olha para mim, mostra a língua e depois abre um sorrisão. Estala a língua no céu da boca e ri do barulho que faz. Está começando a notar as mãozinhas e as esfrega nos olhos quando tem soninho ou quando deitadinho fica agitando elas a tal ponto que quase levanta voo. Ah e deu de chupar o dedão agora. Coisa mais lindinha. Já tem seu próprio idioma, com "AaaAaaaassss, angus e oooo" e fica feliz quando eu imito seus gemidinhos.

Dois meses do meu milagrinho


Estamos no final do segundo mês e daqui pra frente tudo acontece muito rápido. Em breve ele estará firmando o pescocinho, querendo sentar, dizer as primeiras palavras e quando eu menos esperar vai me chamar de mamãe. Deve ser um momento mágico né? Aliás, todo momento com ele é mágico, um milagre lindo da vida que se encarrega de fazê-lo engordar quase 50 gramas por dia. Fico pensando na multidão de células se repartindo e agindo no corpinho dele para transformá-lo dia após dia. É muito fantástico. As unhas, por exemplo, preciso cortar toda semana.

Livros da promoção Itaú Cultural


Não vejo a hora de ele entender as historinhas que desde já leio (dizem os especialistas que eles vão acostumando com a nossa entonação de voz na leitura). Chegaram os livros daquele projeto do Itaú em que me inscrevi. São uma gracinha. (Você também pode pedir, é de graça. Veja mais aqui)

Batizado do priminho Mateus

Também temos passeado bastantão (mesmo a contragosto da médica). No restaurante ele faz um sucesso danado porque todo mundo conversa com ele e acha fofo ficar quietinho enquanto eu almoço (tá mamado, trocado e andou de carro, coisa que ele adora). Com o papai foi parar na quadra de basquete, onde a mamãe deu um show de habilidade (você pode imaginar quanta) e ganhou no 21. Foi pra casa dos vovós de PG e de Castro. Ficou quietinho a maior parte do tempo na missa de batizado do priminho Mateuzinho e saiu com a mamãe e vovó Sônia pro comércio. Passou no trabalho da dinda Dani pra toda aquela moçada de lá babar nele.

Vovó, Aline e Dinda babonas


Foi uma semana gostosa, apesar das dores, e é uma delícia ver que meu filhinho está evoluindo certinho, seguindo o mesmo caminho que toda criancinha segue. Cada coisinha nova é uma conquista para nós, que amamos tanto tanto tanto esse preciosinho. Vou parando por aqui, porque já é tarde e o papai até já foi pra cama (milagre ir antes de mim). Mas a gente se fala mais ainda nesta semana, afinal, teremos o segundo mesversário da criança mais maravilhosa do mundo! rere.

Beijossss

Manu

Soninho de anjo




Que tal um olhar desses?
Adora mostrar a língua





quarta-feira, 23 de maio de 2012

Orientações da nossa super pediatra

Dodói mamãããe!!! A danada da marquinha da vacina.
Cada consulta com a doutora Tiyoco Miyabukuro é uma aula. Estou apaixonada pela pediatra do meu bebê. Talvez na próxima eu leve a câmera e a cara de pau e peça para tirar uma foto com ela para vocês conhecerem. Pense numa pessoa doce, meiga, querida e séria ao mesmo tempo. Passa muita segurança. Mas não é para declarar todo o meu amor pela 'dotôra' que eu vim aqui e sim para repassar umas importantes orientações. Atenção mamães! Especialmente as que leram meus posts sobre as cólicas. Tem conselho errado lá...

Eu só usei o Atroveran uma vez, duas gotinhas, e nem sei dizer se fez efeito. Ainda bem! Atroveran e Buscopan, bastante usados pelas mamães para tentar conter as cólicas de seus pequenos, podem ser um tiro no pé. Todos os medicamentos da linha Tropinal (Dipirona) podem cessar a dor na hora mas causam prisão de ventre e dor redobrada depois. Então... nada disso. O Tylenol (Paracetamol) tá liberado, com moderação.

Tiyoco disse que não tem efetivamente um remédio que acabe com as cólicas, mas orientou que evite viajar com o bebê porque eles não gostam (estranham) muito movimento. Poxa... agora que eu tava faceira de passear com o baby.

Ela viu meu pequeno chorar bastante hoje. Esta quarta-feira, 23 de maio, foi terrível para nós mesmo. Joãozinho chorou desde a hora que acordou até agora (10 da noite). Acabei de pôr no berço (já fiz isso umas dez vezes). Espero que agora ele tenha um soninho gostoso porque durante o dia não dormiu nem mamou quase nada. Foi sua pior crise de cólica. E tem outro fator contribuindo aí... A inflamação causada pela vacina BCG aplicada quando ele tinha 10 dias agora está enorme e causando bastante dor, segundo a médica. Tanto que ela optou por nem fazer aquele procedimento para cortar o freinho da língua dele para evitar mais sofrimento hoje. Ao que tudo indica, nosso pequeno é bem sensível à dor, tipo a mãe dele.

Agora sim é que me deu medo da próxima vacina, marcada para dia 4. Vou tranferí-la para a sexta, dia 8, porque aí temos o papai em casa no final de semana para ajudar a cuidar dele. Sozinha é triste viu? Hoje tô arrebentada de dor nas costas de tanto ficar com ele no colo. Sem falar no emocional da gente que fica um trapo. Outro conselho da doutora é dar Tylenol meia hora antes de aplicar a vacina para diminuir a dorzinha. 

Meu gordinho: quase cinco quilos e 10 cm maior em 52 dias
Mas o dia também teve coisas boas como ver o quanto nosso pimpolho está crescendo, como está forte e bonitão. Sabe aquele menino que saiu da maternidade com 2.750kg? Tá com 4.930 kg agora!!! E o mais impressionante é que em um mês e 21 dias ele cresceu quase 10 centímetros!!! Até parece que vai dar alto esse menino (não sei de onde puxou). Está com 56,5 centímetros.

A pesagem me deixou mais tranquila sobre a alimentação do João Augusto. Eu andava preocupada porque ele não pega mais o peito por 40 minutos, lembram? Então... a pediatra disse que é absolutamente normal ele diminuir o tempo da mamada porque agora está mais fortinho e consegue mamar bastante em menos tempo e com menos esforço. De acordo com ela, novos estudos indicam que um bebê consegue 70% do que precisa em apenas três minutos de amamentação. Em cinco minutos já estão satisfeitos e o resto é pura manha. O velho conhecido 'fazer o peito de chupeta'. Respirei aliviada de saber que não falta alimento pro meu filho e que ele está dentro do padrão para sua idade.

O fato do pequeno estar mamando mais no período da noite também tem explicação. Na opinião da Tiyoco é porque meu filho tá ficando manhoso mesmo. rerere. Ela me aconselhou a colocá-lo desde já para dormir no berço dele, no quarto dele, lá loooooooooonge de mim! Oh meu Phaaai (este foi com o sotaque do Inri Cristo)! Tirar o Joãozinho do miniberço do lado da minha cama já, tão cedo? Ela disse que como ele sente meu cheiro, pede por mim mais vezes (que fofo né, que amor). Se for dormir lá longe vai ter um sono mais longo.

Puxa, puxa, repuxa! Será que eu consigo, hein? Aí mamães que colocaram seus filhos no quartinho deles desde o começo, me digam, me ajudem! Eu tenho a impressão de que não vou dormir tranquila ou que não vou escutar quando chorar, nem atender se a coberta foi na cara dele, se vomitou. Vai que se afoga lá longe? Por enquanto o máximo que eu consigo fazer é deixar o miniberço mais longe da cama. Isso sim...

Ela ainda examinou ele todinho, ouviu o coração, colocou um aparelhinho no ouvidinho, pegou pelas mãozinhas e ele fez força para se levantar. "Tá bem firminho", assegurou. Colocou ele em pé para fazer movimentos de caminhada e tá tudo certo. Explicou que a bolinha branca na gengiva dele que parece uma afta é super comum e se chama Pérola de Epstein, uma gordurinha que não dói e some por conta. 
Pediu um examezinho de praxe que já está agendado para quinta da próxima semana. 

 
Agora que meu dia está chegando ao fim, vou tentar descansar porque Joãozinho daqui a pouco acorda para mamar. Só não deitei ainda porque estou esperando João pai chegar da faculdade para fazermos nossa oração das quartas. Mas tô esgualepada. Exausta mesmo. Tomara que nosso anjinho também consiga descansar nesta noite e tenha amanhã um dia gostoso, sem dor nem chororô. Sempre ouvi que a dor de filho dói em dobro na gente e é verdade. Quem não tem filho não tem ideia do quanto é desgastante para o emocional ouvir o chorinho deles assim, constante. Mas vai passar!

Fica a boa lembrança da doutora querida e do consultório dela, sem frescuras e com muitas lembrancinhas de crianças que ela ajudou a salvar na UTI onde dedica a maior parte do seu tempo. É lindo ver o amor que ela tem pelas criancinhas de UTI. Ela sempre fala delas e hoje me disse que adora trabalhar lá. Na estante da sua sala há muitos porta-retratos com fotos de bebês sorridentes e saudáveis com mensagens de gratidão à doutora. Linda a profissão dela né? Linda a missão dela, que embora não seja mãe, traz esperança e vida para muitas mães.

Beijos a todos! Beijo especial para a Taiana Bubniak que hoje me emocionou com palavras de incentivo. Obrigada pela companhia Tai querida! Até logo.

Ah... para descontrair, vão aí duas montagenzinhas e um videozinho que combinam com o post anterior, sobre a cantoria dos papais e as fraldas ecológicas...

Já pensou? rerere

Roubei do face da Juliana Nogueira, que usa e aprova


Rachei de rir quando a Juliana disse que canta esse 
super hit de 1984 quando faz ginástica no Pedrinho. 
Não é o máximo? Já copiei! :-)

terça-feira, 22 de maio de 2012

A cantoria dos papais


Papai cantando o lá-lá-lá do Silvio Santos

A falta de talento musical e de um mínimo de afinação não são problemas para estes papais, que viajam pelo cancioneiro popular brasileiro em busca de ritmos para embalar o soninho do pequeno João Augusto, especialmente quando ele faz manha. E viajam mesmo. Uma hora a gente teria de enjoar do Ursinho Pimpão e das cantigas infantis...

Passamos então a apelar para "Tchu-tchu-tcha-tcha, Kuduro, Ai se eu te pego e Tchê-tchê-re-re" (confesso!). E depois disso vieram clássicos dos anos 80 e 90 como "Voar, voar, subir, subir", "Adocica meu amor, adocica" e "Chorando se foi quem um dia só me fez chorar", até que o papai resolveu desenterrar todo o elenco do corpo de jurados do Show de Calouros. Siiiim... Com a voz do Silvio Snatos começou com "Lá vem o João Augusto, lá lá lá lá, lá lá lá lá lá lá!".

E chamou o Lombardi (que nem fazia parte, mas vá), Pedro de Lara, Nelson Rubens, Sônia Lima, Flor, Leão Lobo, Wagner Montes e até a Elke Maravilha. Gente, que memória a do papai! A hora que ele chegou no Décio Pitinini eu não acreditei. Por onde anda Décio Pitinini hein? Alguém mais lembra? rerere. Bem, o Joãozinho gostou. Dormiu como um anjinho.





Hora do Tédio e Momento Delícia

É meu povo... Pais de criança manhosa precisam se virar. Não que meu filho seja 'bardosinho', como diria o pessoal lá do sítio. Mas todo dia ele tem aquela horinha do tédio, quando não aguenta mais de tanto que dormiu e resolve manifestar para o mundo que quer ficar acordado. Manifesta-se chorando. Aí o Décio Pitinini ajuda a acalmá-lo, rerere.
 
É no final do dia, quando ele também tem seu momento delícia: o banho. Está a cada dia mais esperto e sabe mostrar o quanto adora a banheira. Seu reino encantado é azul e cheio de água morninha. Ele estica as perninhas até encontrar a base da banheira. Aí impulsiona o corpinho para trás e a mamãe aqui aproveita para transformá-lo num boto cor-de-rosa. Tenho certeza que meu peixinho fica feliz.


Pelado, pelado...

Aos poucos ele mostra que tem personalidade. Agora que sabe rir e até solta risadinhas sonoras, estala a língua e solta uns ensaios de "angus" e deixa bem claro pra mamãe do que gosta e do que não gosta. É só tirar a roupa do pequeno para vê-lo toooodo sorridente a cada troca de fraldas. Tenho a impressão de que ele gostaria de morar na Praia do Pinho para viver peladão. É um naturista nato este meu filho! E o chororô sempre vem quando passo a roupinha pela cabeça e nos bracinhos. Eu entendo como um protesto, mas não dou chance pra ele se impor, rerere.

Nosso bebezinho está crescendo muito rápido e todas as roupinhas RN já estão pequenas. Separei uma sacolada do que já não serve mais e reorganizei o armário para que os trajes P e M fiquem à mão. O pacote de fraldas P em uso também é o último. Já vai pra M o rapazinho.


Gordinho

Língua solta

Amanhã temos consulta com a pediatra e saberemos quanto ele cresceu. Mas calculo que já tenha mais de cinco quilos. Na consulta ele também passará por um procedimento para cortar o freio debaixo da língua. A linguinha dele é meio presa naquela membranazinha e vai ser preciso passar o bisturi ali. Ai que dó!!! Diz a minha sogra que meu marido também teve isso e não houve drama. O corte foi bem pequeno e rapidinho cicatrizou sem dor nem sofrimento. Tomara viu? Depois eu conto. Mesmo assim ele adora colocar a língua para fora e parece entender quando a gente pede pra mostrar. Dá a impressão de que ele imita a gente. Mas deve ser achismo de mãe coruja mesmo né?

Mostre a língua pra mamãe!

Mamá curto

O que me preocupa no momento é que Joãozinho nunca mais quis voltar à rotina depois daquela ameaça de gripe (sei lá o que foi aquilo). Ele não mama mais 40 minutos inteirinhos a cada três horas, como antigamente. Agora mama aos pouquinhos e tenho medo de que não esteja se alimentando o suficiente. Vou ver com a doutora Tiyoco amanhã. O dodói da vacina está cada vez maior e parece doer. A cabeleira está renascendo, felizmente. Vai voltar a ter cabelo até na testa, meu filhinho. 


Passeio no parque

Os últimos dias foram de tranquilidade na maior parte do tempo. Passeamos mais e mais e tivemos um final de semana super gostoso em família. No sábado o papai resolveu sair do sedentarismo e ressuscitou os patins para andar no parque ao lado do condomínio onde a sogra mora. Ah foi bem joinha. Tava um dia lindo e eu fiquei passeando com nosso príncipe no carrinho. Até porque a 'songa' aqui não consegue ficar em pé num troço desses.

Quando criança lá em Barbacena eu bem que tentei, mas caí de bunda, fiquei uma semana sem sentar e nunca mais calcei um roller. Fiquei com inveja surpresa e ainda mais apaixonada pelo meu marido ao ver que ele tem habilidade. Anda super bem. Só caiu uma vez e é claro que eu tirei foto! auhauahu. Eu pude  brincar na academia da terceira idade (combina bem com minha situação atual, rere).

Aproveitamos o friozinho pra assistir filminho na sogra e depois, em casa, fizemos um ninho na sala e dormimos todos por lá mesmo. Joãozinho acordou super feliz. Na segunda-feira, enquanto papai trabalhava, almoçamos mais uma vez na casa da dinda que não é de Olinda Dani e fomos ao supermercado com a vovó Sônia e tia Valquíria. Ou seja... Joãozinho tá muito passeador.


Mostre que sabe...

Finja que deitou...

 


Vamo sisti filminho!
Ninho na sala
 
Fralda Ecológica

Testei a fralda ecológica que comprei lá no meio da gestação, lembram? (veja post aqui). Comprei apenas uma, da Baby Sling (Fralda Bonita) e agora posso dar minha sincera opinião sobre o assunto. Gente... eu separo o lixo, uso água racionalmente, prefiro etanol a gasolina, consumo com moderação etc... Mas acho que no quesito ecobebê não poderei me inscrever. A Ju Nogueira usa as fraldinhas ecológicas no Pedrinho desde que nasceu e adora. Adaptaram-se super bem. Mas eu não consegui! Talvez porque usamos marcas diferentes. Pelo que entendi, as que ela comprou vêm com refis de filtros para acrescentar.

Bem... a tal fraldinha de pano só me deu trabalho. Passou tudo e a roupinha dele ficou molhada em menos de uma hora. Além disso ela tem um volume enorme, o bebê fica desajeitado. Usei o tamanho P e como meu pequeno tá grandão, tive de por na segunda regulagem. Pode ser que isso também tenha colaborado para o não sucesso da nossa empreitada ecologicamente correta. Além disso, dá um trabalhão para lavar e usei tanta água e tanto sabão na fralda que acabou não sendo tão verdinha assim.

Vou testar mais uma vez, mas acho que continuarei nas descartáveis. Ah sem contar que uma fralda custou mais de R$ 30 e que meu Joãozinho teria de usá-la pelo menos 40 vezes para compensar o custo. E eu teria de ter pelo menos oito fraldas de cada tamanho para dar conta de um dia de trocas. Pode me reprovar aí no item mãe com consciência ambiental. :-(

Fralda Ecológica


Kudurobaby

O videozinho da semana é super divertido e veio da Kelly B. Taques. Um sarro. É uma montagem sobre um comercial que virou hit na internet e deu maior trabalhão pra fazer (vi um documentário sobre a produção na GNT). Olha que graça os bebês da água mineral agora dançando o Kuduro!




Benzedeira com diploma

E a curiosidade do dia é a reportagem de hoje do Paraná TV sobre uma cidade onde os vereadores criaram lei para regulamentar a profissão de benzedeiras. Tem até curso: Benzedeiras são consideradas profissionais da saúde no Paraná



Canções de ninar apavorar

Já que falei das músicas, fica aqui o registro da Suellen Rentz que me mandou no facebook o seguinte textinho (uma graça!)


CONVERSA ENTRE DUAS CRIANÇAS DO SÉCULO XXI no berço!!!
- E aí, véio?
- Beleza, cara?
- Ah, mais ou menos. Ando meio chateado com algumas coisas.
- Quer conversar sobre isso?
- É a minha mãe. Sei lá, ela anda falando umas coisas estranhas, me botando um terror, sabe?
- Como assim?
- Por exemplo: há alguns dias, antes de dormir, ela veio com um papo doido aí. Mandou eu dormir logo senão uma tal de Cuca ia vir me pegar. Mas eu nem sei quem é essa Cuca. O que eu fiz pra essa mina querer me pegar? Você me conhece desde que eu nasci, já me viu mexer com alguém?
- Nunca.
- Pois é. Mas o pior veio depois. O papo doido continuou. Minha mãe disse que quando a tal da Cuca viesse, eu ia estar sozinho, porque meu pai tinha ido pra roça e minha mãe passear. Mas tipo, o que meu pai foi fazer na roça? E mais: como minha mãe foi passear se eu tava vendo ela ali na minha frente? Será que eu sou adotado, cara?
- Como assim, véio?
- Ela deixou bem claro que a minha mãe tinha ido passear. Então ela não é minha mãe. Se meu pai foi na casa da vizinha, vai ver eles dois tão de caso. Ele passou lá, pegou ela e os dois foram passear. É isso, cara. Eu sou filho da vizinha. Só pode!
- Calma, maninho. Você tá nervoso e não pode tirar conclusões precipitadas.
- Sei lá. Por um lado pode até ser melhor assim, viu? Fiquei sa bendo de umas coisas estranhas sobre a minha mãe.
- Tipo o quê?
- Ela me contou um dia desses que pegou um pau e atirou em um gato. Assim, do nada. Maldade, meu! Vê se isso é coisa que se faça com o bichano!
- Caramba! Mas por que ela fez isso?
- Pra matar o gato. Pura maldade mesmo. Mas parece que o gato não morreu.
- Ainda bem., sua mãe é perturbada, cara.
- E sabe a Francisca ali da esquina?
- A Dona Chica? Sei sim.
- Parece que ela tava junto na hora e não fez nada. Só ficou lá, paradona, admirada vendo o gato berrar de dor.
- Esses adultos às vezes fazem cada coisa que não dá pra entender.
- Pois é. Vai ver é até melhor ela não ser minha mãe mesmo... Ela me contou isso de boa, cantando, sabe? Como se estivesse feliz por ter feito essa selvageria. Um absurdo. E eu percebo também que ela não gosta muito de mim. Esses dias ela ficou tentando me assustar, fazendo um monte de careta. Eu não achei legal, né. Aí ela começou a falar que ia chamar um boi com cara preta pra me levar embora.
- Nossa, véio. Com certeza ela não é sua mãe. Nunca que uma mãe ia fazer isso com o filho.
- Mas é ruim saber que o casamento deles não está dando certo... Um dia ela me contou que lá no bosque do final da rua mora um cara, que eu imagino que deva ser muito bonitão, porque ela chama ele de 'Anjo'. E ela disse que o tal do Anjo roubou o coração dela. Ela até falou um dia que se fosse a dona da rua, mandava colocar ladrilho em tudo, só pra ele passar desfilando e tal.
- Nossa, que casamento bagunçado esse. Era melhor separar logo.
- É. só sei que tô cansado desses papos doidos dela, sabe? Às vezes ela fala algumas coisas sem sentido nenhum. Ontem mesmo, ela disse que a vizinha cria perereca na gaiola... já viu...essa rua só tem doido...
- Ixi, cara. Mas a vizinha não é sua mãe?
- É mesmo! Tô ferrado de qualquer jeito.


Legal né? E por hoje é isso pessoal!

Um beijo da mamãe e do bebê que tem agora um mês e 20 dias. Até logo mais.


Vó Sônia, Dora e Helena
Padrinho Josiran
Vó Sônia

 

Vó Raquel e Izalete

Né?



Giovana e Aline
Pode vir o frio que eu tô pronto!

Dinda Dani



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...