Páginas

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Agito e loucurada: o comportamento de Joãozinho pelos bailes da vida

No baile de formatura do papai
Dezembro de 2012, janeiro de 2013: meses que passaram voando na minha vida, mas que deixaram lindas e importantes recordações. Apesar de não ter me sobrado tempo para estar aqui compartilhando tanta aventura, não posso deixar de registrar que nosso verão tem sido super agitado com muitas viagens e eventos. É sobre essas ocasiões que falo hoje. Em alguns, Joãozinho foi um lord. Em outros, eu queria sumir!

Não vou negar que tem horas que dá uma saudaaaaaade de quando bastava um banho e mais meia hora para estar pronta para a balada e dela só voltava quando a banda parava de tocar. Hoje a coisa é bem diferente e a programação para uma festa é grande, começa bem mais cedo. Ah, e a festa geralmente termina pra nós quando está ficando boa.

Neste tempo todo estivemos em churrasco de confraternização do trabalho do pai dele; apresentação de canto da Duda, priminha; festas de Natal e Ano Novo; um casamento; na praia e até na formatura do João. Foram dias de muito corre-corre, de soninho afetado, de lamentar que todos os meses desenvolvendo rotina tenham ido por água abaixo... rerere.

RO-TI-NA! Eu detestava essa palavra que antes tinha um significado enfadonho pra mim. Agora ela virou minha obsessão, vivo a persegui-la na tentativa de ter um pouco de tempo pra mim também. O dia que você tiver um bebê em casa vai me entender. Se já tem, sabe do que estou falando.

Quando Joãozinho comia, dormia, brincava e tomava banho nos mesmos horários todos os dias, eu podia até me programar para tomar o meu banho com mais calma ou para sentar aqui e deixar algumas palavras registradas. Depois do fuzuê da festarada, cada dia é uma surpresa e tem horas que me sinto muito, mas muito cansada disso tudo. Já cheguei a ficar irritada de verdade, a ponto de pedir pra sair. Quem nunca? Daí eu olho praquela carinha sapeca e sorridente e me encho de ânimo para tirá-lo de perto do home theater, ou de dentro do box do banheiro. E fico até me sentindo culpada por não ter tanto fôlego quando gostaria. kkkk

Na festinha de final de ano do trabalho do papai tinha espaço pra criança. Oba!

Vamos então às festas e viagens:

Foram várias viagens a Curitiba, a Castro e a Tibagi neste período e nosso pequeno às vezes dorme o tempo todo, às vezes faz muita manha e quer vir pro colo, chora muito e resiste a todas as tentativas de brincadeira que faço lá no banco de trás. Andar na frente virou coisa rara pra mim.

A pior viagem foi uma de Tibagi a Ponta Grossa, que embora de apenas 100 km durou umas cinco horas por conta de uns percalços (esquecer as coisas e voltar do meio do caminho, dar uma passadinha não sei onde e assim por diante). Ele reinou o tempo todinho e me deixou desolada. Sabe quando a gente fica tão esgotada que não tem ânimo nem pra reclamar? Cheguei em casa e chorei, chorei, chorei... até o ânimo voltar pra dar banho e continuar a missão. Uahuahau.

Mas para a praia, nosso anjinho foi um exemplo de menino. Foram nove horas de estrada, com paradas estratégicas para almoçar, papinhas e trocas, além de uma esticada nas pernocas. Foi tudo super programado e mesmo com congestionamento deu certo: papinhas doces para emergências dentro do carro, as salgadas descongelando no caminho e esquentadas nos restaurantes, o DVD portátil rodando a Galinha Pintadinha Ad Nauseum, água no potinho que ele mais gosta, muitos brinquedinhos na mão e até umas bolachinhas de maisena pra ele roer de vez em quando. Funcionou ida e volta.

A aventura na praia merece um post a parte, minha gente. Volto, se Deus quiser.

Dudinha se apresentando lindamente, como sempre

No Teatro

Fomos ao Cine-Teatro Ópera ver a priminha Duda se apresentar com o grupo da aula de canto. Pense numa pessoa arrependida! Eu! Arrependida por ter ido de salto alto (às vezes bate uma vontade de ser bonita), por ter sentado lá no meio achando que o tempo ruim já passou e que agora Joãozinho pode participar de um evento, arrependida por ter colocado um colar grande, arrependida de ter ido enfim! rarara

Estava com sono e ao invés de dormir, a cada aplauso o menino berrava e se esticava todo. E como manda a lei de Murphy, da turma de 25 alunos, Dudinha era a 24ª a se apresentar! kkkk. Lá fomos eu e o João pra escadaria, subir e descer, sair e entrar pela porta dos fundos a cada apresentação. Nos aplausos íamos para fora. Nas apresentações, tentávamos assistir, sentados nos degraus. No final, graças a Deus, meu sogro foi dar uma força e ficou com ele do lado de fora um tempinho. Resumo da ópera: voltamos cansados demais, com calo no pé e fazendo promessas de nunca mais ir a um lugar desses. Como se fôssemos cumprir alguma promessa... kkk

Papai formando em Direito

Antes de começar

Durante a colação, brincando com o celular  lá no fundão

Na colação e no baile

Não levou um mês e lá estávamos nós de novo, só que agora num teatro maior, o Marista, com muito mais barulho, na formatura do papai. Vocês lembram da saga que foi acompanhar as três noites de formatura da minha cunhada quando ele tinha três meses né? Desta vez as coisas foram diferentes, tivemos uma aliada: a experiência!

E ela contou muito. Calejada da vida (ó o drama), lembrei das lições aprendidas e fiz planos dos meus dias de evento em função das solenidades. Chegamos adiantados para a foto oficial, procurei o último lugar da última fileira de cadeiras e lá fiz campana. Afinal, ano passado a coisa ficou feia quando resolvi sentar na frente da mesa de autoridades e quase dentro da caixa de som.

Alguns parentes ficaram por ali também e foi a melhor coisa. O som lá no fundão é bem mais abafado, as cornetas não incomodam tanto, fiquei pertinho das portas e ainda sobrou um bom espaço pra ele brincar no chão ali atrás. Deu tudo certo.

Joãozinho ficou o tempo todo engatinhando pelo corredor e brincando com meu celular. Desta vez não se importou tanto com os aplausos até porque eu tinha feito ele dormir antes de irmos para só ter sono mais tarde da noite. Saímos de lá e ainda fomos a um restaurante comemorar enquanto nosso príncipe dormiu no bebê conforto.

Ele dormiu no carrinho durante a missa
Segunda noite: missa! Nem deu trabalho porque agora já está acostumado a ir comigo sempre à missa.


Dançando com a mamãe
Disfarçado no baile

Terceira noite: baile! Aí você pensa... no bailão o bicho pegou! Que nada menina... Foi no baile que ele me fez a maior surpresa boa. Chegou dormindo e assim permaneceu até as duas da madrugada. Aí acordou e foi dançar comigo, depois voltou a dormir e só chegamos em casa às seis da manhã!

A enfermeira do plantão e tia Scheila, a babá, cuidando de Joãozinho durante o baile
Mas aí tem truque. Primeiro: solicitamos a última mesa e por sorte tivemos bastante espaço ali. Segundo: a babá foi junto. Terceiro: babá e bebê ficaram no andar de baixo, na enfermaria, loooonge da muvuca. Só subiu pro baile quando acordou. A Scheila foi ótima nessa noite e cuidou super bem do nosso pequeno, que dormiu de novo no embalo do carrinho com (adivinha quem?) o DVD da Galinha cocoricando na cabecinha dele. Valquíria deu uma mão e eu voltei com as panturrilhas malhadas de tanto que subi e desci aquelas escadas para dar uma olhadinha nele a cada quinze minutos. Perfeito!

O vestido emprestado que Joãozinho batizou

Um vestido vomitado

E teve o casamento dos primos Sidney e Luciane, em Curitiba. Como já vinha gastando as tampas com a formatura do marido, resolvi economizar e aceitei a oferta de empréstimo de um vestido lindíssimo da amiga Leilane. Ela é um amor! Obrigada mesmo querida. Só que eu sou neura e quando empresto alguma coisa, cuido mais que se fosse minha e devolvo rapidinho. Morro de medo de estragar. Mas já falei que sou perseguida pelas leis de Murphy né? Então...

Lá fui eu linda e formosa com o vestido da Leilane pro casório, a desfilar pelo clube. Já passava das dez da noite, Joãozinho já tinha resistido ao culto, à viagem e estava até de bom humor, jantado (pedi pro pessoal do cerimonial esquentar a papa), quando resolvi dar aquele mamazinho do soninho. Fui ao fraldário fazer isso, afinal o vestido era mula-manca e eu não queria ficar seminua na frente de todo mundo.

Ele mamou, mamou, mamou, parou, olhou pra mim com o olho parado, achei que queria arrotar, levantei-o e recebi o maior jato de vômito já lançado por um bebê em toda a história da humanidade. Sim, pois meu Joãozinho nunca foi de vomitar, nem babar o menino baba, aí guardou tudo para esta ocasião especial. Um litro e meio (!) de leite materno visguento no meu cabelo e de cima a baixo em toda a lateral direita do vestido!!!  

Quis morrer, mas não podia sem antes limpar a sujeira toda. Enquanto isso, os noivos eram recebidos em festa no salão e por mais que eu acenasse da porta do fraldário, ninguém na mesa olhava pra mim. Deixei Joãozinho choramingando no chão enquanto tentei lavar o cabelo na torneira da pia e tirar um pouco do azedume dos ombros com lenço umedecido.

Esqueci de dizer: ele arrebentou este colar
Lá pelas tantas minha sogra viu meu desespero e veio em meu auxílio. Vieram também as moças do cerimonial que procuraram por um secador e nada, um ventilador e nada, um pente e nada... Minha escova estava no carro que ficou loooonge demais pro marido se prontificar a buscar. Fiz o que deu, esperei a galera ir servir o jantar e disfarçadamente dirigi-me à mesa de onde não arredei o pé até a hora do tchau. Ah, Joãozinho não dormiu nessa noite. Só depois que pegamos a estrada, antes mesmo do baile começar. O mais hilário foi na hora de tirar a foto com a noiva. João acha que ela sentiu meu cheirinho de leite azedo, mas disfarçou.

Para completar, eu já estava preocupada em lavar o vestido antes de devolver, pensando "tomara que não tenha manchado", quando descobri três furinhos na saia e fiquei pra morrer de novo. Como entregar a roupa agora? Quase não apareciam os furinhos, mas puxa vida...

O cheiro foi fácil, lavei com o maior cuidado e deixei com odor de amaciante. Mas e os furos? Dei uns pontinhos e levei pra entregar, com dor no coração, disposta a pagar pelo vestido e devendo mil desculpas. Estava agoniada demais da conta, jurando que nunca mais na vida emprestaria roupa de ninguém, lamuriando uns "ô vida, ô azar" até descobrir que os furinhos já estavam lá antes da Leilane me emprestar. Uahauhuahua. Sofri à toa, graaaaaças ao bom Deus. Ufa!

Natal em Castro: tudo belezinha
Refrescando com o papai

Refrescando com o primo
Foguetório

No Natal foi tudo tranquilo pro Joãozinho porque ficamos na casa da minha mãe em Castro. Por mais barulheira da parentiada fazendo churrasco, ele dormia bem porque meu quarto continua lá e fica longe do auê. Ele nadou na piscininha dele e na piscinona do tio, brincou muito com os priminhos e foi paparicado pelos tios e avó.

No feriadão de Ano Novo fomos a Tibagi nos avós do João e ele amou nadar no rio. Valquíria então me saiu uma excelente babá e pude descansar um pouquinho. O único momento de chororô foi realmente o da virada, porque até eu tenho vontade de chorar com aquele foguetório todo. No fundo, tenho medo. Coloquei algodão nos ouvidos dele, mas arrancava. Estranhou bastante, se agarrava a mim e dormiu assustadinho, grudado no meu peito. No mais, só alegria.

Na hora do show pirotécnico... belo jeito d  e começar 2013

Prontinhos pro ano novo


Bagagem

Vai viajar e quer saber como arrumar as malas? Não me pergunte como! Uahuahau. Eu levei tanta, mas tanta coisa nessas viagens que o carro ia socado. Isso que tem um porta-malas enorme. João pai também é super exagerado e levou até a caixa de som da sobrinha, que é gigante, além do violão. Juro que desejei ter um caminhão. Pensei até numa daquelas carretinhas de engatar no carro. kkkkkkkkk. É verdade que não usamos um quinto de tudo o que carregamos.


Bem, estes foram alguns dos nossos momentos das férias animadas com Joãozinho, que estão chegando ao fim. Ele agora está matriculado numa escolinha e semana que vem euzinha aqui volto a trabalhar. Isso é novidade demais para este post, por isso pretendo voltar, se meu filhote deixar, em breve para contar tudo.


Vídeo

A indicação de vídeo de hoje veio da Kary Heidemann, mãe de um João que regula de idade com o meu. Achei lindo e compartilho. O que você gostaria de saber antes de seu filho nascer?



E você, viajou neste verão? Passou sufoco com as crianças? Conte-me de suas experiências e fique à vontade pra pagar da minha cara. kkkk. Um beijo especial e até loguinho. Ficam as fotos do período!

Manu

Nas compras de Natal

O presente da Dinda

Com os padrinhos

Tirando o time do papai... é uma coisa linda né?

Bolinhas de sabão com a vovó

Dias de calor


Novo enfeitinho da estante da bisa

Banho no rio Tibagi com a vó e Valquíria


Pôr-do-sol em Tibagi

Voltando do rio, de

Avós e tias na formatura do papai

Taí o diploma


Baile de formatura

Mamãe toda trabalhada na miçanga, kkkk
No casamento com a famiage

O vestido antes do desastre
Os noivos



8 comentários:

  1. Nossa, ri litros da foto do Joãozinho de bigode! E foi uma pena ele ter estragado sua produção, o vestido estava perfeito em você!
    Joãozinho tá muito lindo, e amei o vestido da noiva! rs
    Beijos;

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkk ele de bigode foi demais mesmo né? beijo flor

      Excluir
  2. Rotina, como disse a Paola: já desencanei, não sei, não conheço só ouço falar... rsrsrsrs. Esse menino anda muito festeiro, já deve ter arrumado uma dúzia de namoradinhas nesses bailes da vida... hehehehe. Ele tá super gato.
    Bjs
    #amigacomenta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah a mulherada baba né Silma? rerere. Beijo flor

      Excluir
  3. Eu até tento seguir uma rotina por aqui, mas nem rola.
    Ainda não tivemos tantos eventos, mas Clara quando quer dormir, dorme e quando quer ficar acordada ninguém a faz dormir e por enquanto o remédio é peito! hahahahaahhahaha
    Ele está lindo demais
    beijos
    #amigacomenta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qualquer coisa e peito neles né amiga? rararara. Bem igual. Beijo flor

      Excluir
  4. Ai que delicia tanto passeio, tanta festa.... rsrsrs

    Aqui tb a gente não tem uma rotina rigida não mas, a gente tenta, né? rsrsrs

    Bjo!

    Loreta #amigacomenta;)
    @bagagemdemae

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. tenta... tenta... e eles vencem a gente mas no fim dá tudo certo né querida? beijoca

      Excluir

Comenta aí que a mamãe fica faceira! E volte sempre, a casa é sua! :-) Ou me mande um e-mail: emanoellew@gmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...