Páginas

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Blitz no Supermercado: que cadeirinha suja!

Depois de um tempo, só o cinto o mantém ali

No post anterior, sobre amamentar em público, mencionei a falta de infraestrutura para as mães com bebês de colo em lugares públicos e em estabelecimentos comerciais. Hoje resolvi pontuar esta questão e protestar contra o descaso com mulheres que precisam ir às compras com seus filhos a tiracolo. Foi meu caso nesta linda manhã de sol em PG City! Já tava fazendo eco na geladeira e tive de ir ao mercado sem a companhia do marido, aquele que sempre facilita a vida da gente nessas horas. Eu e Joãozinho enfrentamos alguns desafios. Nos acompanha?

No hipermercado de uma famosa rede paranaense, o primeiro obstáculo é encontrar um carrinho com cadeirinha/bebê conforto que dê coragem de usar. Sim, porque notícia de gente morrendo de gripe A e agora também de gripe B tem todo dia na TV por aqui... Agora, mesmo a cadeirinha mais razoável que a gente acha, lá no fundo do estacionamento, nunca passou perto de um paninho com álcool né? Tenho medo de imaginar como é a cozinha da padaria, o açougue e os estoques.

Quando acho uma cadeirinha inteira, com um capinha de napa, já me sinto sortuda. Eis então o problema número 2: o jeito é levar paninho de casa para tentar limpar a sujeirada toda que fica lá depositada. Tem resto de bolacha, grude de iogurte, ranho, poeira e todo tipo de baba acumulado em anos ali.

Quando João era menor, eu o levava dentro do próprio bebê conforto num carrinho comum, mas agora ou é na que o mercado oferece, ou é ele surfando dentro do carrinho e jogando todos os produtos pelo corredor. Ah, tem aqueles carrinhos com um carro de brinquedo acoplado na parte de baixo. João ama. Eu é que não, porque na primeira parada ele desce e começa a "organizar" as gôndolas.

Quando eu o levava na própria cadeirinha


Dentre as opções que me aparecem, tento procurar sempre por um que ainda tenha os cintos de segurança. João não costuma ficar muito tempo parado ali, o cinto é essencial. Aí surge o problema número 3: praticamente todos estão com os cintos "escafiotados", soltos, sujos, amarrados com nós, indisponíveis. Dou uma amarrada do jeito que dá e corro pra saga da compra, o mais rápido que posso, porque é no meio da compra que surge o problema número 4: não tem fraldário nem no hipermercado mais famoso da cidade, minha gente! Não tem!!!

"Eu prefiro ir andando, mamãe"
Tem um banheiro quase sempre fedido, com granito no chão e mármore na pia toda molhada e entulhada de papel usado. Eu sinceramente dispenso o mármore, se houver um mínimo de higiene. Numa compra de semana costumo permanecer por mais de uma hora no mercado, então torço pro Joãozinho não fazer seu cocô matinal, daqueles que sobem até a nuca, durante a empreitada.

Agora não é mais o caso, porque ele já não mama com tanta frequência, mas quando menorzinho, numa compra de mês com o papai que adora passear pelas gôndolas e olhar produto por produto, depois de três horas ali dentro, precisei dar o peito pro pequeno. Apelei pras cadeirinhas apertadas, acopladas às mesas da lanchonete. Foi o melhor que encontrei. Problema número 4: não tem cadeira para amamentar.

E não para por aí. Há caixas prioritários para idosos, gestantes, mães com bebês de colo e pessoas com deficiência. Na minha opinião, a fila destes caixas é sempre maior que as dos caixas normais. Não são suficientes. Olha o quinto problema aí!

Para piorar, hoje era a sexta da carne no tal hiper e a fila para o açougue, onde apenas duas mulheres atendiam, estava quilométrica. Praticamente meia hora esperando ali, logo atrás de um senhor de idade que usava muletas. Ninguém deu a vez, ninguém se importou conosco. Claro que João ficou entediado e tive de recorrer aos aplicativos de desenhos no celular, por um tempo.

A compra toda durou uma hora e meia, no mais rápido que pude, mas gastei outros cinco minutos escrevendo algumas "sugestões" e depositei naquela caixinha que fica totalmente escondida lá depois da farmácia.
Achei um com cinto! Que sorte.
Deixo aqui também as sugestões:

- Mais higiene e cuidado com os carrinhos acoplados de cadeirinhas
- Fraldário limpo
- Cadeiras para repouso (mesmo pessoas idosas podem precisar)
- Mais atendentes no açougue
- Mais caixas preferenciais

E que tal uma campanha publicitária com a Família Feliz em que a mãe fique grávida? Durante alguns meses ela pode aparecer comprando o enxoval do bebê, desde cadeirinhas a fraldas, e realizando desejos de gestante, comendo bastante. Até o bebê nascer, a rede pode reorganizar seus espaços, construir a estrutura necessária e depois anunciá-la como um diferencial. Dona mãe Feliz poderá ir às compras com seu bebezinho. Ah, eu ia adorar!

E vocês, meninas, como se viram nas compras?

Beijos e até logo mais.

_________________________________

Depois de publicado este post, mencionei as sugestões na fanpage da empresa no Facebook e obtive a resposta que publico abaixo. Gostei muito da agilidade com que me responderam e da atenção dispensada. Ponto positivo pra rede! :-)

  • Conversa iniciada hoje
  • Rede X

    Boa tarde, Emanoelle. Primeiramente parabéns pelo seu blog (muito bem escrito, por sinal) e pelo "filhote" lindo. Lamentamos que existam dificuldades em algumas das nossas lojas quanto aos pontos abordados em sua crônica. Infelizmente existe uma grande dificuldade para contratação de pessoas não só para nossa empresa, mas como para o mercado em geral, em especial o varejo. Gostaríamos de saber em qual hiper ocorreram tais situações, para que possamos repassar à gerência da loja e assim ele possa orientar a equipe, reforçando a mensagem que você tenha deixado na caixa de sugestões. Quanto à sua sugestão de termos uma das nossas "mamãe feliz" grávida, é algo que já está sendo discutido com nossa agência de propaganda, para achar um jeito de contar essa história, ou seja, de "introduzir" primeiro uma gravidez e depois o nascimento desse Bebê Feliz - afinal de contas apesar de ter o formato de uma novela, ainda é um comercial que fica no ar por muito tempo, até mesmo devido ao alto custo de produção. Agradecemos seu contato e desejamos que tenha um excelente final de semana.

___________________________________

"Queremos cadeirinhas limpas!"

Este eu tive de limpar antes de usar. Não me liguei de fotografar o "antes".

3 comentários:

  1. Parabéns, Emanoelle, pela iniciativa! Devemos sempre estar atentos como consumidores em todas as fases de nossas vidas! Sílvia

    ResponderExcluir
  2. Nossa Emanoelle, adorei seu blog, esse post em especial disse tudo que eu desejei dizer, aff que ódio que me dá da falta de prepara desses estabelecimentos, enfim, show, seguirei vc. bjs grande e um xero no seu fôfo.

    ResponderExcluir

Comenta aí que a mamãe fica faceira! E volte sempre, a casa é sua! :-) Ou me mande um e-mail: emanoellew@gmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...