Páginas

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Obrigada por tudo, doutora Tiyoco Miyabukuro!

Doutora Tiyoco Miyabukuro: para sempre nossa gratidão

Confiança. Essa é a palavra certa para descrever uma relação que começou quando Joãozinho tinha um mês de vida. Tivemos a imensa sorte de cair nas mãos da melhor pediatra deste mundo e contar com toda a sua experiência e dedicação por um ano e meio. Mas ontem a agenda dela, sempre tão lotada, mas não tanto que não pudesse nos atender rapidinho e em qualquer lugar, passou a ter apenas páginas em branco. Nossa querida doutora Tiyoco Miyabukuro surpreendeu a todos nós, mães e pais, com sua partida repentina. 

Ela sempre me pareceu muito discreta, fazendo jus à característica típica dos orientais, mas super vaidosa com saltinhos em sapatos bonitos mesmo aos 65 anos. Poderia passar sem ser notada nos corredores da UTI que coordenava na Santa Casa de Misericórdia, aqui em Ponta Grossa. Mas seu sorriso, este sim contagiante, deixava a gente mais tranquila a cada pergunta descabida de mãe de primeira viagem. Foi tão discreta que ninguém sabia, e ainda não sabemos direito, que sua saúde não andava bem.

No último mês é que a bengala e uma expressão de dor denunciavam algo errado com nossa heroína das noites de febre do bebê. Mesmo assim, não poderia imaginar que seria grave. Ela preferiu perseverar naquilo que foi sua grande e maravilhosa missão: trabalhou até o fim. Atendeu meu Joãozinho pouquinho antes de sair para Curitiba, onde ia em busca de tratamento para o que ela nos dizia ser "ciático". Não queria comoção, não queria pessoas preocupadas, não queria alarde. E partiu discretamente, num leito do Nossa Senhora das Graças, onde passou sua última semana.

Ainda é difícil digerir a informação de que nossa pediatra, a pessoa em quem eu mais confiava neste mundo, não está mais em seu consultório ou na UTI - lugares que eram praticamente sua casa. Fica aquela sensação de "e agora?", "pra onde vamos?". E ainda a impressão de que por baixo daquele jaleco impecavelmente branco havia um coração que absorvia tudo silenciosamente, solitariamente.

E então, de sopetão, na última segunda-feira, 4 de novembro, ficamos todos um pouco órfãos. Ela encerrou sua messe aqui na Terra e certamente já está entre muitas boas almas. Imagino que no céu da nossa amada pediatra há uma centena de crianças lindas que a abraçam, beijam e acarinham-na em gratidão pelas tantas vidas que esta iluminada mulher salvou, pela dedicação tão abnegada às suas criancinhas, entre elas meu filho. Embora nunca tenha tido um filho de sua própria barriga, nossa doutora foi mãe de todos os seus pacientinhos. 

Tenho certeza de que ela sabia que, assim como eu, muitas (muitas mesmo) mães terão eterna gratidão a esta devotada senhora. Foi para ela que eu liguei às 11 da noite e às 6 da manhã nas primeiras febres do nosso bebê. Foi ela quem nos deu segurança e tranquilidade todas as vezes que nos vimos impotentes diante das viroses. Ela não errava um diagnóstico e sabia exatamente o que João tinha só de me ouvir ao telefone. Pedia os exames e eles apenas confirmavam o que sua sabedoria já tinha previsto.

Era uma médica carinhosa e muito calma. Direta também. Ficou conhecida na maternidade por falar "umas verdades" paras mães que não queriam amamentar. Atenciosa! Quem mais retorna as ligações no celular do paciente? Se não estivesse na clínica, atendia escondidinho numa sala do hospital sem perguntar se alguém ia pagar por aquela consulta. Ouvi relatos de que tirava dinheiro do bolso para garantir atendimento a crianças carentes. Não me admiram.

Lembrei da primeira consulta, quando olhei dezenas de porta-retratos com fotos de bebês e mensagens de agradecimento na estante. Percebi que aquelas eram algumas das tantas vidas que salvou. Depois, a cada consulta eu tinha uma aula sobre como cuidar do nosso pequeno. Cheguei a falar isso aqui no blog, em outros posts. Eu sabia que voltaria de lá mais preparada para continuar, até o próximo mês, a próxima pesagem. Se até lá alguma coisa diferente acontecesse, eu discava sem medo o segundo número na lista de favoritos do meu celular.

Doutora Tiyoco deu um livro musical da Galinha Pintadinha pro João quando ele fez um ano. Achei de uma gentileza enorme ter se preocupado com isso e principalmente de saber que era a personagem favorita do nosso bebê - um entre muitos que ela recebia diariamente. Observadora. Era também antenada com as novidades. Enquanto muitos pediatras ainda recomendam banho de sol, ela receitou vitamina D e pediu para evitar a exposição do bebê até o sexto mês, porque "pesquisas recentes" apontavam riscos. Nunca deixou de se atualizar. Por isso a baita profissional que se tornou, super reconhecida. Por isso ontem tanta gente lamentou.

E hoje, enquanto acontecia a cerimônia de cremação em Curitiba, a Santa Casa de Ponta Grossa finalmente inaugurou novos leitos de UTI neonatal. Seria um dia muito feliz, certamente. Espero que onde esteja, sinta essa energia.

Não cheguei a dizer o quanto ela foi especial em cada consulta, mas quero que leve daqui meu amor, minha imensa admiração e gratidão. Desejo que seja acolhida com infinito amor, com muita luz. Para mim, doutora Tiyoco foi cedo demais e vai fazer uma falta sem tamanho. Mas confio que tenha partido na hora exata, no momento em que sua maravilhosa missão findou por aqui.

Sentirei saudade sempre e farei questão que Joãozinho cresça sabendo que contou com a senhora, querida doutora, nossa super pediatra.

15 comentários:

  1. A doutora cuidou dos meus dois filhos....(a minha vovo) como o meu filho a chamava.....tudo o que eu sei sobre maternidade eu aprendi com ela...ela nunca morrerá em nossos corações.

    ResponderExcluir
  2. A vovó, como o meu filho a chamava...ela cuidou dos meus dois filhos...tudo o que sei sobre maternidade eu aprendi com ela...ela nunca morrerá em nossos corações

    ResponderExcluir
  3. To em lágrimas ela era pra nos super importante ,digo existe pessoas que deveriam ser eternizadas ,vai em Paz querida Dr Tiyoco ,nosso eterno agradecimento .....

    ResponderExcluir
  4. Nossa guria, me emocionei. Poxa que triste, é tão difícil achar um profissional com tamanha dedicação.
    Bjs
    #amigacomenta

    ResponderExcluir
  5. Q triste!!
    Lindo texto!
    Bjs
    Mari
    #amigacomenta
    http://maricriando.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Sem palavras, pois suas palavras me emocionaram e sei que onde quer que ela estiver estará muito feliz por ser tão querida e homenageada com essas lindas palavras com sentimento verdadeiro e emoção.
    Uma abraço,
    http://belagestanteemae.com.br

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  8. Como sobrinha, agradeço pelo carinho e reconhecimento de vcs. Ela sempre estará presente em nossos corações. Obrigada! Patricia Miyabukuro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Patricia... Dra Tyoco era como parte de nossa familia, quase que uma mãe para minhas filhas. A dor que estamos sentindo é imensa, é uma falta, um vazio que.nw sera preenchido... Que Deus esteja com vcs. E que saibam que ela foi muito amada por tds nós mães, pais e nossos filhos. A dor é imensa. Um abraço com carinho...

      Excluir
    2. Obrigada Camila, com certeza esse vazio nunca será preenchido mas as lembranças sempre ficarão nas nossas vidas, da mesma forma que pegou vcs de surpresa tb nos pegou, não imaginávamos que aconteceria isso logo ela. Também tenho filhas e apesar de morar no rio grande do sul inúmeras vezes recorria a ela mesmo tendo a nossa pediatra aqui, para ver se a medicação estava certa ou para tirar qualquer dúvida pq nela eu confiava acima de tudo. Seus pequenos pacientes e a maternidade eram a sua vida. Agradeço a todos as palavras queridas e o carinho.

      Excluir
  9. OI Manu, uma linda homenagem que você fez para essa médica que exerceu a profissão com amor e dedicação. Com certeza ela está muito deliz com a inauguração dos novos leitos.
    beijos
    Chris
    Inventando com a Mamãe
    #amigacomenta

    ResponderExcluir
  10. Descanse em paz nossa AMADA Dra Tiyoko , obrigada por ter cuidado com tanto amor dos meus filhos !!!

    ResponderExcluir
  11. Nao a conheci pessoalmente a dra, o pediatra do meu pequeno é outro ser tao amavel qto a dra, mas sempre ouvia mtas coisas boas e da sua tamanha competencia, fica aqui minha solidariedade a todas as mamaes orfas de sua pediatra.....que Deus receba a de braços abertos pois aqui na terra sua missao foi de grande valia.....

    ResponderExcluir
  12. Vc expressou tudo o que tbbm estou sentindo... Ela estava em nossa familia à 30 anos, cuidando de mim, meu irmão e por último minhas filhas... A tristeza é sem tamanho :(

    ResponderExcluir

Comenta aí que a mamãe fica faceira! E volte sempre, a casa é sua! :-) Ou me mande um e-mail: emanoellew@gmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...