Páginas

terça-feira, 21 de maio de 2013

Início de pneumonia: o frio chegou

Friooooooo

Quase nada de chuva por mais de um mês, umidade relativa do ar chegando a 7 pontos aqui, onde o comum é 60%, frio e Joãozinho com o nariz escorrendo direto... Combinação perfeita pra um dodói de tirar o ânimo do bebê. Nosso último mês foi pancadão, com direito a antibiótico e nebulização - um dos motivos do meu sumiço aqui do blog (que saudade que eu tava!).

Primeiro a pediatra indicou um xarope contra alergia. Mas depois o catarro virou resfriadão dos fortes (ou gripe, sei lá), que veio com febre alta e que não baixava de 39 graus nem com Dipirona de quatro em quatro horas. Quem já viveu isso sabe o desespero que dá na gente. Foram duas noites assim, com banho morno para tentar amenizar a temperatura do corpo e meu filhinho cada vez mais abatido.

Por telefone, a doutora insistia em alergia e pedia para esperar a consulta já marcada para o dia seguinte. Mas vi que a coisa não ia bem e resolvi levar ele lá na UTI onde ela trabalha, no dia do plantão mesmo. Foi a melhor decisão.

Um raio-x feito de emergência revelou que João estava com início de pneumonia. Que baita susto! Corremos comprar o aparelho para nebulização e pela primeira vez na vida usei um negócio desses. Ele odiou tomar a cefalexina, mas até que curtia a nebulização e passou a dormir melhor. Comer é que foi difícil. Ficou mais de uma semana sem colocar nada sólido na boca e grudou no meu peito. Nestas horas é que fico aliviada por saber que ele ainda pode contar com o aconchego e sustento do mamazinho.

Seu rostinho até afinou, porque além de tudo, o remédio dava diarreia e o pobrezinho emagreceu. Pra piorar, a diarreia muito ácida provocava assaduras fortes. Nunca tinha assado tanto antes, chegou a sangrar a pele do bumbum. Fui me virando na pomadinha de óleo e maisena (só misturar óleo vegetal com amido de milho), que sempre funciona bem, mas desta vez nem a pomada Trok recomendada pela pediatra deu jeito. Sarou foi com Cicatenol, mas demorou. E nesse período, meu tiquinho chorava litros a cada troca de fralda (de duas em duas horas inclusive à noite para não aumentar o assado) e nem sentava na banheira para tomar banho. Ô pecado.

Graças a Deus e ao remedinho, João foi reagindo super bem e sarou depressa. Ficou com aquela coriza mais uma semana, mas ao que parece já eliminou tudo e está zerinho de novo. Passada a pior fase, que foi vê-lo super pra baixo, sentindo dor e com aquele olhar desanimado, eu é que caí de cama. Um gripão tão forte que, olha, fazia muito tempo que eu não tinha. Passei o final de semana do Dia das Mães sem coragem de levantar pra nada. E ainda estou eliminando o catarro. Desconfio que foi a mesma gripe que derrubou meu bebê.

Belo começo da temporada de frio hein minha gente? Justo eu que aprendi a gostar tanto de outono e inverno, às voltas com o lado B das estações? Mas agora que já passamos por isso, nos resta aproveitar os próximos meses de friozão que estão por vir.

Em Castro com os sobrinhos Isabella e Dudu, minha mãe Raquel e comadre Rapha

Clausura, nunca mais!

Falando em aproveitar, que que eu fiz da minha vida neste último mês, hein gente do céu? Não pude estar aqui no blog porque fiquei sem tempo, não saí passear e fiquei a maior parte do tempo aqui em casa, lavando, passando, cozinhando, limpando e odiando fazer tudo isso. kkkkk. Foram as duas semanas que eu e Joãozinho ficamos combalidos e mais umas duas trancafiada mesmo. Só saí um domingo, fui ver minha avó aproveitando a viagem do marido a Curitiba para fazer concurso.
Com tia Mercedes e Bisa Francisca

Primos Lu e Rogério, na ida a Curitiba


Até que semana passada resolvi tirar o mofo de mim e ouvir minha deusa interior me mandando pra luz. kkk. Peguei o carro e fui visitar minha família em Castro, depois de dois meses (e são apenas 40 km). Foi um dia tão gostoso. Fui visitar minha amiga Bianca na sexta, sábado ela, o marido e as crianças vieram pra jantar aqui e domingo fomos a Tibagi ver os velhinhos (avós do marido). Aí sim, é vida. rere. E pra esta semana já estou toda programada em passeios com o bebê. Nem que a roupa acumule!
Amo demais da conta

Este tempo todo sem sair me fez mal, sabia? Eu estava passando perto de uma deprê e o marido, que já não anda o mais animado também, entrou na onda. Ficamos os dois batendo de frente sem motivo e piorando ainda mais a vida. Felizmente a fase passou. E estou de volta, animada e corada como sempre! :-)

Precisa contar que ele ficou feliz?
 Leleco

Como vocês sabem, eu perdi o Kiko e a Clarinha, meus cachorrinhos, neste ano que passou. Pensei em demorar muuuuito para ter outro bichinho em casa, pois é uma responsabilidade imensa e não sei se estava preparada. Mas tem coisas que a gente gente não escolhe. Acredito que os animaizinhos é que decidem com quem vão viver e não o contrário. Bem, eis que Leleco escolheu ser nosso filhinho e agora ele é o novo integrante da família. Joãozinho está doido por ele.

É difícil de entender, mas ainda existe muita gente má neste mundo e que abandona os bichinhos. O Leleco foi deixado no terreno do local onde meu marido trabalha. Com sarna, vermes, pulga e à beira da morte. Calculamos que ele tenha uns 40 dias de vida no máximo. Penalizado, João me contava sobre ele na hora do almoço e bastou que eu dissesse um "pode trazer", meio cochichado, sem coragem, para que no final do dia o filhotinho já estivesse conosco.

Passou pela veterinária antes, claro, e já está morando na casa da Clara e fazendo xixi e cocô por toda a calçada da lavanderia, sem deixar um centímetro quadrado sequer limpo. kkk. Agora os planos são construir um ambiente maior lá na grama, com calçada e cobertura para a casinha e criá-lo fora mesmo. Porque eu amooooo cachorrinho, mas sinceramente a esta altura não estou muito disposta a lidar com a sujeirada que eles fazem enquanto são bebês. Quando tiver educadinho, Leleco até poderá entrar em casa. rere.

Joãozinho ficou alucinado pelo cachorro. Ele já era fissurado pelos "au-au" dos vizinhos e agora, da hora que acorda até cair na cama de novo, passa a maior parte do tempo estalando a língua e mexendo com os dedinhos pra chamar o Leleco. Mas acabou se assustando com o latidinho fino do bichão (que tem uns 10 cm e pesa uns 200 g no máximo, kkk) e chora junto se Leleco chora. Tá feita a bagunça! Sem falar que o danado quer mexer na água e na ração do cachorro. #socorro

Tenho a impressão de que o Leleco não vai ser dos grandes e espero que essa pelagem sarnenta sare logo, pra gente poder se esfregar bastante e pra ele poder brincar com o Joãozinho. É todo pretinho, com patas brancas e beges, como se fossem luvas. Vai ser lindão.
Um dia você vai ser lindo, Leleco!

Então, seja bem-vindo ao lar, sr. Leleco Wisnievski de Oliveira! Que você tenha uma vida longa e muito feliz com a gente.


Traquinagens

Neste mês que passei longe daqui, nosso príncipe já evoluiu tanto que é até difícil registrar tudo. O principal é que ele agora entende muito mais palavras. Sabe fazer uma série de gracinhas, como cheirar meias e falar "abuuuu", fazendo referência ao chulé. kkkk. Não pode me ver sentada que vem se agarrando à minha perna para fazer pocotó, adora comer pão bisnaguinha sozinho, mas ainda anda preguiçoso para mastigar. Faz a maior cena quando quer alguma coisa e não damos, chega a ser bonitinho. Manda beijo, faz Gavião com movimentos de bracinhos esticados, dança quando toca qualquer música, ama brinquedos de encaixar e mostra que sabe sobre o que estamos falando.


Nas noites mais frias, levamos ele pra nossa cama de madrugada e o sapeca dorme espalhado, tentando se encostar em nós dois ao mesmo tempo. É uma delícia acordar ao lado dele, sempre sorridente e agora com beijos molhados. Joãozinho sabe provocar: se esconde para brincar de "achoooou", anda rapidinho quando falo "vou te pegar", é um fofo. Fala "paxiá" e corre pegar a chave da porta pra sair de casa. Vai andando até o carro e se encontra a porta aberta, tenta entrar sozinho. Não quer ficar mesmo né?

Ele demonstra adorar companhia para brincar e quando tem mais criança por perto, praticamente esquece do mundo e passa um tempão brincando ao lado. Quando estamos sozinhos, passa o tempo todo me seguindo e obviamente tentar pegar a sujeira que varro, "organiza" minhas gavetas e por aí vai.

Enfim, tchurma, nosso bebezão está cada dia mais fofo e mais querido e espero poder voltar mais vezes aqui. Ando alimentando alguns sonhos, planos de quem sabe um dia viver do que gosto: escrever sobre o universo materno. São só sonhos, mas um dia dá certo.

E você, já enfrentou um dodói sério assim com seu/sua filhote? Já se sentiu mofando por não sair de casa? Já adotou um bichinho de estimação. Conta pra mim! Beijos e até logo.
Pra vovó atender a ligação

***

Dica do Dia

Ler é o melhor caminho para educar nossos filhos, a gente sabe disso né? Então que tal as listas de leituras deste site aqui ó: http://educarparacrescer.abril.com.br/leitura/todos.shtml 


Tem lista dos 10 melhores livros de contos, os mais indicados para adolescentes, novelas infantis, cronistas, livros para falar de sexo, para as férias, biografias, folclore e muito mais. Eu adorei. É uma iniciativa da Fundação Victor Civita e vale a pena conferir.

Visita surpresa da família de Londrina :-)
Passarinho da mamãe
Cuidado com a Cuca, que a Cuca te pega
Pocotó
Sempre no estilo
Correndo o mundão
Assistindo aula com o papai
Abre a porta Mariquinha!

Vamu paxiá?

Fazendo novas amizades

Meu lindo sorridente

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...