Páginas

domingo, 13 de abril de 2014

Festa de dois aninhos: boa, bonita e econômica


A comemoração dos dois aninhos do nosso príncipe João saiu do jeitinho que eu queria... simples, bonita e barata, se comparada com a do ano passado, quando gastamos muuuuuuito. Apesar de eu ter amado tudo com a praticidade da casa de festa no primeiro aninho, resolvi que a segunda vez seria mais simples, mais econômica, mas charmozinha. Por que não?

 Para conseguir essa proeza, tivemos, claro, de fazer muita coisa por conta própria. Abri mão de contratar aquelas empresas que fazem tudo pra gente e, com uma participação muuuuito grande do marido, providenciamos cada detalhe. Mesmo assim, o valor previsto ainda extrapolou em 70%, kkk. Mas foi bem mais barato que ano passado, menos da metade. Veja como foi:

Foi dia 30, aniversário de 70 anos do meu pai que comemorou também
1. Lista de convidados Ano passado paguei para 120 convidados, compareceram menos de 70. Neste ano reduzi bastante a lista e convidei só familiares de primeiro grau e aqueles amigos com quem de fato convivemos. Gostaria de poder chamar todo mundo, tem tanta gente que eu amo tanto e que mora lá longe. Mas, nessas horas, "hay que endurecer-se, pero sin perder la ternura". Auhauahu. Fechamos a lista em 70, foram 50. Belezinha!

2. O lugar 
A economia começou pela escolha do local. Eu teria feito em casa, se lá coubessem mais que dez pessoas, rsrs. Optei por um salão da Sede Campestre do Clube onde somos sócios, pagamos mensalidade e quase nunca usamos. O salão servia mais de 60 pessoas, inclui as toalhas, tem banheiros bem cuidadinhos, é bonito, novinho, tem TV a cabo com canal de música infantil, tem cozinha com freezer, fogão e tudo mais, tem funcionárias que lavam toda a louça e limpam tudo (é a parte que eu mais gosto) e custou só a taxa de uso, de uns R$ 150, mais R$ 3 por convidado não-sócio (uns R$ 90). Por aí, salões de festa começam em R$ 400...

3. Decoração 
Até pensei em improvisar, mas andava muito ocupada, com dois trabalhos para dar conta e resolvemos contar, aí sim, com uma ajudinha profissional. Mas encontramos a Fran, da Inventando Arte, que tem uns temas bem fofos, simples, mas lindos e baratos. João é quem cuidou disso sozinho, veja que amor. Me mostrou as opções pela internet e escolhemos o de ursinho, para aproveitar uma temática bem fofinha e infantil enquanto ele não se apaixona pelos super-heróis que depois dominam os ambientes de festa. O kit com mesa principal, painel de balões e ursinhos com balão que decoraram as mesas dos convidados saiu por menos de R$ 300.Valor abaixo do que se cobra por aqui.


4. Convites e lembrancinhas 
Eu mesma fiz! #ahlámanuzinhavéia. Depois de escolher o tema, tirei umas ideias no professor Google e desenhei, sem saber desenhar, um ursinho em EVA: recorta, cola, faz lacinho, cola um dedo no outro, faz aquela bagunça em casa, passa a madrugada na lida, mas sai! Apesar de simples e não profissional, achei que ficou fofinho. E foi arte minha, oras. #orgulho. Usei papel de scrapbook, papel vergê, EVA, canetinha permanente, cola, fitinhas, e envelopes no convite. Para a lembrancinha, um bloquinho de anotações (ano passado foi porta-canetas, então dá sequência, né?), além dos itens anteriores, foi mais saquinho plástico e daqueles clipes grandões. Todo o material saiu por uns R$ 100 e sobrou coisa ainda.

5. Comes e bebes 
Seria lindo um buffet de tortas, mas no caso o que deu foi cocreti e brigadeiro messss, rara. Mas eram salgadinhos bem saborosos e docinhos deliciosos. Também abri mão do bolo falso, que custava uns R$ 70, para investir nesse bolo delicioso de seis quilos, recheado de mousse e sorvete. O sabor dele é Napolitano e acho que todo mundo adorou. Tava realmente uma delícia. No mais, refris, água, cerveja e sucos. Foi a parte mais cara da festa e saiu tudo uns R$ 700, porque a gente optou por quituteiras mais renomadas. Valeu a pena, mas certamente, se tivéssemos mais tempo para experimentar, acharíamos opções também boas e mais em conta.

6. Brinquedos Aos dois aninhos, nosso bebê ainda não repara se a gente não alugar aquele brinquedão inflável ou um parquinho inteiro. Na verdade, como choveu o dia todo, foi até bom que João alugou apenas a piscina de bolinhas e a cama elástica. E foi suficiente para a criançada se divertir bastante. Saiu R$ 160 os dois.

7. Sem garçons 
O marido bem que tentou contratar um garçom, mas o sujeito deu o cano. Eu mesma cortei o bolo, enquanto minha mãe, sobrinha, tia e prima ajudaram a servir. Foram também os familiares mais próximos que deram uma mão na hora de servir os salgadinhos e bebidas. Quer saber? Ficou todo mundo bem à vontade e deu tudo certo.

8. Fotografia 
Neste aspecto sou suspeita. Gosto de registrar cada momento da nossa vida e sempre conto com a ajuda de grandes profissionais, amigos queridos, para fotografar. Mas, neste ano a ordem era diminuir os custos e optei por eu mesma tirar as fotinhas. Sim, tirar foto, porque fotografar mesmo é coisa pra profissional, rerere. Na maior parte do tempo deixei a câmera no automático e, depois de registrar a presença dos convidados, deixei ela solta por ali. A sobrinha Isabella ajudou a registrar tudo e a amiga Manu nos deu uma mãozona na hora do parabéns. Funcionou. Não é “O álbum”, mas temos o registro.

No fim, nossa festinha foi bem bacana. Joãozinho adorou, brincou o tempo todo com todas as criancinhas e até agora quando vê um ursinho diz “uso, niveisalio nenê”. Ninguém pôde estourar um balãozinho sequer porque nosso filho tem pavor e a gente respeita isso. Ele ganhou muuuuuitos presentes, a maior parte roupa (alegria de uma mãe). Tá vestidinho para este inverno e, nesse ponto, a festa acaba se pagando.

Eu revi muita gente que amo demais e curti também, recebendo de todo mundo o carinho especial por estar, desta vez, carregando mais um bebezinho na barriga. Ano que vem tem mais. 

 Aliás, ano que vem teremos duas festinhas de bebê, né? A do novo neném é garantida, mas, nos meus planos, de agora em diante as festinhas do João serão na escolinha e só pra gente, em casa. Não sou muito a favor de gastança em festa. Há tantas prioridades. Mas, chega perto da data a gente se empolga, não tem jeito! rsrs. Afinal, eu e meus irmãos sempre tivemos festinhas, com bolos caprichados que a mãe fazia. Nunca passamos em branco: a vida merece e deve ser celebrada!
 
E você? Costuma fazer as festinhas dos filhos? Põe a mão na massa? Comemora em casa? Consegue economizar nessa hora? Deixa sua dica aí, vai? :-)

 Beijinhos, Manu











Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comenta aí que a mamãe fica faceira! E volte sempre, a casa é sua! :-) Ou me mande um e-mail: emanoellew@gmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...